Preto & Branco

“Caí de pára-quedas no mundo da comédia”

 É a primeira, ou pelo menos, a mais visível cara feminina da comédia moçambicana, o nosso Standy Up Comedy, esta forma de contar estórias e piadas com humor e despertar risos, senão mesmo gargalhadas e tornou-se uma referência televisiva, depois de ter trabalhado numa escola e numa companhia de seguros. E confessa que entrou no mundo da comédia de pára-quedas, mas “brilhar” nas câmaras ou emprestar a sua voz à radio, fazia parte de seus sonhos de infância. Outro detalhe, ela, às vezes, confunde as pessoas por alguns “tiques” masculinos, considerando-a uma “maria-rapaz”. Trata-se de Maira dos Santos. Acompanhe a breve conversa travada, com recurso às tecnologias de informação e comunicação.

Jornal Preto & Branco (JP&B) – Comecemos do inicio. Quem é Maira Santos? Onde nasceu, cresceu e estudou?

Maira Santos (MS): Nasci em Maputo, vivi nove anos na zona norte no país, em Nampula, onde fez o ensino secundário e faculdade.

 (JP&B) Parece ter um “DNA” para a comédia, quando se descobre nesta vocação?

(MS): Eu caí de pára-quedas no mundo da comédia, até porque eu não sabia que tinha vocação, nunca havia pensado que isto podia trazer-me rendimentos. Comecei a fazer Stand Up numa altura em que queria ganhar dinheiro de forma fácil, para fazer face a algumas despesas rápidas, isto é, caprichos. Foi numa altura em que estava na faculdade e tinha necessidade para sair aos fins de semana ou comprar mais uma peça de vestuário, afinal a minha mãe sempre priorizou a Educação. Quis primeiro fazer teatro e notei que haveria necessidade de uma mecânica então optei por fazer Stand Up porque dependia exclusivamente de mim, porque afinal o quê é Stand Up, trata-se de pegar no celular e subir ao palco e contar estórias, tentei, comecei, experimentei e apaixonei-me e faço há seis anos.

 

(JP&B) – Algumas experiências antes de ingressar à televisão?

(MS): Antes trabalhava numa companhia de seguros, mas antes trabalhei numa escola e hoje em dia estou na televisão, são áreas bem distintas.

 

(JP&B) – Quando desperta o gosto pela televisão?

(MS): O gosto pela televisão desperta em mim um pouco antes da inclusão da pandemia da Covid-19, sempre foi paixão ser apresentadora de Rádio e Televisão. Fazia parte das brincadeiras desde a infância, onde simulava apresentar qualquer programa no quintal. Devo confessar que o programa Stand Up da TV Sucesso é um fruto da pandemia.

(JP&B) – Têm traços físicos, linguagem e, corte de cabelo, às vezes, tipicamente masculino.

(MS): O que define o género da pessoa humana é o sexo não a roupa, corte de cabelo, não é uma inclinação bipolar são apenas gostos, acho que as pessoas têm a liberdade de comer, beber e vestir o que quiserem, desde que não ofendam ou cometem crimes, eu sou uma pessoa que faz e está sempre onde há paz. Se hoje apetece-me por um batom, ponho, afinal não ponho para as pessoas mas sim para mim, é assim a Maira, não é ser humano para outras pessoas mas sim sou pessoa para mim mesma.

(JP&B) – As vezes confundes as pessoas sobre o teu género…

(MS):. Se confundo as pessoas pelo meu estilo não é minha responsabilidade.

 

(JP&B) – Quando estás em cena, seu humor, risadas e piadinhas alinham-se a dos rapazes e, é a única mulher. Quer comentar?

(MS): Por enquanto sou a única mulher a fazer comédia em Moçambique mas no mundo são muitas mulheres que fazem Stand Ups. Nota que o que é debatido em diferentes programas são temáticas do quotidiano da sociedade e, nós sentamos e escrevemos em jeito de estórias ou piadas. Em cena tenho apresentado temáticas que versam a vida dos homens, das mulheres e não necessariamente para falar da minha vida.

(JP&B) –  O que visa concretamente o Standy Up Comedy?

(MS): Literalmente o Stand Up visa pegar no microfone e subir ao palco e contar estórias, qualquer material, que faça o público identificar-se, e se achar engraçado tudo pode virar material do Stand Up, estamos a falar da dor, vitória, doença. Aliás, estamos a falar de tudo de forma leve, podes falar da política, desporto,… a ideia é trazer um determinado assunto de forma leve e combinar.

(JP&B) – Últimas considerações …

(MS): A comédia do Stand Up em Moçambique está atrasada porque somos leigos, temos preguiça em ler, em procurar e estudar as coisas, estamos atrasados embora estamos a caminhar para poder levar a comédia a grandes patamares e representar Moçambique, quero poder fazer shows fora e devo agradecer a quem gosta do meu trabalho e apoia, permitam a ser pessoas melhores, permitam a aprender, permitam a viver, conheçam-se a vocês mesmos para que nada possa vos ofender, porque afinal de contas o que somos não pode nos ofender.

 

 

Adicionar comentário

Leave a Reply