Preto & Branco

Réu securitário “afoga’ actual Governo

A fechar a semana finda, é de reter o que ficará como o mais famoso reu das “dívidas ocultas”, Carlos do Rosário, mais umamvez procurou desvalorizar os resultados da auditoria da Kroll e das reais intenções do actual Governo, dirigido por Filipe Nyusi, que a altura das dividas ocultas era Ministro da defesa.

 Reagindo às informações da Kroll, que constam dos autos, de que a EMATUM tinha gerado, até 2017, 14 mil dólares em receitas de venda de pescado, e a MAM 25 mil dólares por transporte de mercadoria pelo navio de dupla finalidade designado Africa Storm, num serviço angariado pelo grupo Privinvest. Sendo que ns contas da Kroll, as três empresas que endividaram o País em dois mil milhões de dólares produziram receitas no valor de 39 mil dólares.

“Primeiro, não são verdadeiros os valoresque faz referência. Segundo, o estaleiro da Maputo Shipyard está aproduzir desde 2016. E esta empresa é uma das subsidiárias da MAM, porque existem várias. Em relação à EMATUM, houve uma campanha desabotagem e esse valor é referente ao primeiro mês de actividades”.

Por outro lado, disse que a ProIndicus não gerou receitas devido à sabotagem de membros do actual Governo. Há membros do Governo que não querem ver estas empresas a funcionarem. Se a ProIndicus funcionasse retiraria negócios que estão a ser feitos à porta de cavalo. Por isso eu digo que este Governo não está a sabotar a mim, mas ao povo moçambicano.

Estão a acontecer matanças em Cabo Delgado que poderiam ter ser sido evitadas pela ProIndicus”.

 

Adicionar comentário

Leave a Reply