Preto & Branco

Arranca desfile de antigos governantes na “B.O”

A tenda instalada na cadeia da Máxima Segurança, vulgo B.O., onde funciona o Tribunal que julga o “caso dívidas ocultas”, depois de fechar com a audição dos 19 réus, será átrio para o “desfile” dos 69 declarantes arrolados no processo, com destaque para antigos ministros, antigo Governador do Banco Central, todos encimados pelo antigo estadista Armando Guebuza, que depois de ser excluído foi resgatado para a lista.

 Com a finalização da audição do último dos 19 réus do caso “dívidas ocultas”, Carlos do Rosário, antigo director de Inteligência Económica do SISE e PCA das três empresas (ProIndicus, Ematum  e MAM)  criadas para o desfalque de cerca de 2.2 biliões de dólares em nome do Estado moçambicano, segue a segunda fase do julgamento que é a audição de cerca de 69 declarantes, dezena dos quais são antigos governantes ou exerceram cargos elevados no aparelho do Estado moçambicano.

Trata-se dos antigos ministros do Interior Alberto Mondlane e das Pescas Vítor Bernardo; da antiga vice-ministra da Economia e Finanças e antiga directora Nacional do Tesouro, Isaltina lucas; do antigo governador do Banco de Moçambique, Ernesto Gove.

Em grande destaque na lista dos declarantes estão o antigo Presidente da República, Armando Guebuza e o actual ministro da Economia e Finanças, Adriano Maleiane, que era ministro do mesmo pelouro quando as dividas foram despoletadas.

 O “resgate” de Armando Guebuza

O antigo Presidente da República, Armando Emilio Guebuza, será o último dos 69 declarantes que vão depor no julgamento das dívidas ocultas. De acordo com a lista tornada pública pelo Tribunal Supremo, Guebuza vai se apresentar na Penitenciária da Máxima Segurança, vulgo BO, no dia 02 de Dezembro.

No entanto, esta nova presença de Armando Guebuza na lista de declarantes foi um resgate. Pois, o despacho do Tribunal Judicial da Cidade de Maputo, datado de 12 de Julho de 2021, previa a comparência do ex-Chefe de Estado ao Tribunal no dia 06 de Outubro.

Mas, em Agosto, em documento actualizado, constante da página do Tribunal Supremo o nome do antigo estadista já não constava como declarante.

Todavia, volta e meia, no anúncio na última lista de Setembro, voltava a constar o nome de Armando Guebuza.

Contudo, apuramos que a arrolação de Guebuza como declarante, dependia da aprovação do Conselho do Estado, o que não havia acontecido à data da divulgação do Tribunal Supremo de Agosto, o que só veio a acontecer em Setembro, razão do resgate do nome esta nova colocação na lista de declarantes.

 

Assim, segundo o novo cronograma tornado público pelo TS, Armando Emílio Guebuza será o último declarante a ser ouvido quando se apresentar em tribunal no dia 02 de Dezembro do corrente ano.

Adicionar comentário

Leave a Reply