Preto & Branco

Presidente da Renamo denuncia perseguições e tortura

O Presidente do partido Renamo, Ossufo Momade, em visitas a várias províncias do país, denunciou, semana finda, perseguições e tortura de militantes e a expulsão de professores membros do principal partido da oposição no país.

 Ossufo Momade diz que os membros da Renamo que trabalham para o Governo, sobretudo professores são perseguidos e expulsos dos seus postos, tendo alegado que o Governo tem estado a tomar medidas que revelam falta de vontade política para uma verdadeira reconciliação nacional.

Segundo aquele líder partidário, um pouco por todo o país, “está a ser implementada e desenvolvida uma cultura e uma política de exclusão”.

Sobre esta situação, o director do Centro para a Democracia e Desenvolvimento (CDD), Adriano Nuvunga, citado pela Voz da América(VOA), Moçambique não é um país democrático “porque a violência política, a violência eleitoral e a intimidação, são utilizadas como instrumentos da governação”.

Perante este cenário, o líder da Renamo disse que face aos problemas que afectam a vida dos quadros e membros do partido, é fundamental vencer as próximas eleições, sendo por isso que tem estado a visitar todas as províncias do país, mas com as atenções centradas nas da zona sul.

Entretanto, o Governo refutou todas as acusações da Renamo, afirmando que casos de perseguição e tortura devem ser denunciados às autoridades policiais, para que possam ser investigados e os autores sancionados por isso.

Adicionar comentário

Leave a Reply