Preto & Branco

Dumping chinês precipita “falência” da Cimentos de Moçambique

Com o inicio da produção e venda de cimento de construção pela empresa Moçambique Dugongo, maioritariamente de capitais chineses, com preços quase à metade dos praticados no mercado nacional, cerca de sete empresas concorrentes vieram a público e ao governo reclamar por alegada concorrência desleal, uma espécie de dumping comercial. Parece já haver vítimas, a empresa Cimentos de Moçambique acaba de fechar as portas e deixar ao desemprego mais de 300 trabalhadores.

 Esta informação despoletada pela televisão pública nacional refere que os proprietários da empresa Cimento Nacional Lda., instalada no Parque Industrial de Beluluane (PIB), distrito de Boane, província de Maputo, fecharam as portas e abandonaram a indústria e sem nenhum aviso ao governo.

Esta atitude da Cimentos de Moçambique parece uma retaliação à falta da intervenção do governo para estancar o que as empresas de produção de cimento que operam no país consideram de concorrencia desleal da chinesa Dudongo ao praticar preços mais acessíveis a população moçambicana para os seus projectos de construção.

Em abano da verdade se diga que o cimento no Mercado nacional estava muito caro, custando ao público 530 meticais por saco de 50 quilos, tendo chegado a custar 750 Meticais!

Com a entrada em cena da Moçambique Dudongo no mercado, há sensivelmente três meses, com preços medios de 260 a 270 Meticais na venda publica de cada saco de 50 quilos de cimento, a concorrência veio à público contestar e sete empresas chegaram a enviar a devida contestação ao Ministério da Indústria e Comércio, mas ainda sem resposta oficial, apesar de o ministro do pelouro Carlos Mesquita ter avançado que o importante é olhar-se para o benefício do povo, um distanciamento tácito, com os  contestatários.

A Televisão de Moçambique (TVM), que avançou o assunto há dias, precisou que os proprietários da empresa deixaram perto de 300 trabalhadores no desemprego.

Não conseguimos chegar à falar com a Direcção da Cimentos de Moçambique para apurar sobre as reais razões desta aparente “falência” e sem comunicação ao Governo, pois, nossas chamadas não foram atendidas.

No entanto, o Director da Indústria, no Ministério da Indústria e Comércio (MIC), Sidónio Dos Santos, citado pela publicação online a “Carta” disse não ter recebido uma informação oficial sobre o fecho e abandono dos proprietários da Cimento Nacional Lda, tendo afirmado ter-se igualmente informado pelos meios de comunicação social.

Na verdade, as empresas produtoras de cimento que actuam no mercado nacional reclama uma concorrência desleal da Moçambique Dudongo, uma espécie de dumping , que, segundo pesquisa  na internet, é uma prática comercial que consiste em uma ou mais empresas de um país venderem seus produtos, mercadorias ou serviços por preços extraordinariamente abaixo de seu valor justo para outro país (preço que geralmente se considera menor do que se cobra pelo produto dentro do país exportador), por um tempo, visando prejudicar e eliminar os fabricantes de produtos similares concorrentes no local, passando então a dominar o mercado e impondo preços altos. É um termo usado em comércio internacional e é reprimido pelos governos nacionais, quando comprovado. Esta técnica é utilizada como forma de ganhar quotas de mercado.

No entanto, não é o que realmente acontece neste caso em apreço, pois, a Moçambique Dudongo, apesar de ter capitais chineses é moçambicana e usa matéria prima nacional.

 

Adicionar comentário

Leave a Reply