Preto & Branco

Sobre taxas de câmbio

VISA ignora Banco de Moçambique

A VISA Inc., uma multinacional americana de serviços financeiros, não reconhece a actual taxa de câmbio determinada pelo Banco de Moçambique, enquanto regulador do sistema financeiro nacional, ao continuar a transacionar o dólar a 75,00 Meticais, enquanto desvalorizou-se para abaixo de 60,00 Meticais.

Enquanto dólar era fixado em 57,00 Meticais no inicio deste Maio, a empresa VISA, através dos seus cartões  de transações financeiras  continuava a debitar 75 Meticais por cada Dólar norte-americano, facto que está a sufocar os cidadãos que fazem compras online.

A verdade é que o valor do Dólar caiu nos últimos dias por efeitos das políticas monetárias que têm vindo a ser adoptadas pelo Banco de Moçambique, sendo que desde finais de Abril última custa 57,00 Meticais, depois de ter atingido 75 Meticais no pico da pandemia da Covid-19.

A valorização acentuada do Metical (que iniciou em finais de Março passado) face ao Dólar e outras moedas de referência cambial causou interrogações, desde o primeiro dia, porque com a pandemia, insegurança e efeitos climáticos, a actividade económica do país cresce negativamente e isso não favorece a apreciação da moeda nacional.

Mesmo com as crises, o Metical está a fortificar-se, o que é, em certa medida, benéfico para a economia nacional. Todavia, essa apreciação não está a ser reconhecida pela empresa americana VISA, cujas soluções financeiras são usadas em Moçambique e noutros quadrantes do mundo.

No entanto, esclarece-se que a VISA não é obrigada a usar a taxa de câmbio determinada pelo Banco de Moçambique, senão os bancos ou instituições financeiras nacionais. Mas a preocupação prende-se a facto de a diferença  das taxas do Banco Central e da VISA ser abismal e estar a causar enormes prejuízos aos cidadãos moçambicanos.

Segundo vincou a “carta” na sua publicação online, segunda-feira última, vários cidadãos moçambicanos denunciaram esta prática por os acarretar prejuízos após fazerem compras online, usando serviços da VISA e os bancos comerciais que usam o serviço VISA endossam toda a responsabilidade a aquela entidade de transações financeiras norte-americana, sediada na Flórida, EUA.

Abordado pela publicação supracitada sobre o assunto, o economista João Mosca, explicou que a VISA continua a debitar 75 Meticais por cada USD por desconfiar da actual taxa de câmbio determinada pelo Banco de Moçambique, alegadamente, por ser especulativa.

“A VISA pode ter notado que a taxa de câmbio definida pelo Banco Central não reflecte a actual situação económica do país. Apercebeu-se de que possa haver manipulação do mercado, com a injecção de divisas, facto que está a permitir a apreciação do Metical”, disse Mosca.

Refira-se que a VISA não é única instituição financeira mundial que põe em causa a actual apreciação do Metical. Citada recentemente pela Lusa, a Fitch Solutions, uma instituição internacional de notação financeira, admitiu que a moeda nacional está sobrevalorizada, ou seja, o seu valor “não reflecte condições macroeconómicas propícias”. Todavia, os consultores da Fitch antevê em que o Metical se desvalorize e atinja os 74 Meticais até ao final desde ano.

.

 

Adicionar comentário

Leave a Reply