Preto & Branco

Aprendida e incinerada na capital do país

Três bairros são antro da droga

A maioria da droga apreendida desde 2020 e incinerada, semana passada, pelas autoridades policiais moçambicanas foi encontrada nos bairros periféricos da cidade de Maputo, a capital do país, com destaque para Maxaquene, Mafalala e Chamanculo, por sinal os mais povoados e com vários casos criminais.

O Serviço Nacional de Investigação Criminal (SERNIC), uma costela operacional da Polícia da República de Moçambique (PRM) incinerou, sexta-feira última, 72 quilos de drogas apreendidas na cidade de Maputo desde 2020, uma operação que enquadra-se nas acções de combate ao tráfico, venda e consumo de drogas.

O lote destruído incluía 39,4 quilos de catinona,  15,1 quilos de cannabis sativa (vulgo soruma),  12,3 quilos de heroína,  2,1 quilos de cocaína, dois quilos de metanfetamina  e um quilo de ‘ecstasy’.

Segundo o porta-voz do SERNIC, Hilário Lole, a maior parte da droga foi apreendida nos bairros periféricos de Maxaquene, Mafalala e Chamanculo, na capital moçambicana.

A apreensão mais recente aconteceu na terça-feira da mesma semana, quando exames químicos a uma encomenda postal proveniente dos Países Baixos testaram positivo para metanfetamina, nas instalações dos Correios de Moçambique.

A mercadoria aprendida, correspondente a dois quilos em comprimidos, estava dissimulada no interior de caixas de jogos de xadrez. Durante a operação, as autoridades detiveram dois homens de 25 e 30 anos, com nacionalidade moçambicana e nigeriana, respectivamente

 

Adicionar comentário

Leave a Reply