Preto & Branco

Concurso literário

Guita Jr. finalista do “Glória de Sant’Anna”

 O poeta moçambicano Francisco Guita Jr, faz parte dos oito finalistas do Prémio Literário Glória de Sant’Anna, cujo vencedor será anunciado a 12 de Maio próximo, para um prémio de  3 mil euros.

Guita Jr concorre  com o livro “Da pele do rosto a coisa do tempo”, sendo uma obra literária composta por dois cadernos. Primeiro, “Da pele do rosto”, escrito num período em que o poeta tinha a sensação de já ter dito tudo que tinha para dizer. “Mas fui, sem pretensão alguma, apontando aqui e ali frases soltas, pensamentos, ideias. Um dia reuni esses retalhos e disso resultaram as 30 quadras que compõem esse livro”m, explicou-se o autor.

Quanto à escrita do segundo caderno do livro, “A coisa do tempo”, o processo foi diferente porque, em termos de forma, o poeta voltou ao formato do seu primeiro livro, que consistiu em escrever poemas soltos, título e corpo, o que considera “poemas individuais”, o convencional. Com excepção de um ou outro texto, os poemas que compõem “A coisa do tempo” são de há dois anos a esta parte. “Então reuni ambos livros e disso resultou o presente volume, que é uma edição da parceria entre a editora angolana Kacimbo e a nossa Ethale [Publishing]”.

Na final desta nona edição do Prémio Glória de Sant’Anna, Da pele do rosto a coisa do tempo, prefaciado por Luís Carlos Patraquim, concorre com mais sete livros. Por exemplo, Regresso a casa, de José Luís Peixoto; roupão azul, de Ana Paula Jardim; e Para não dizer que não falei dos equinócios, de Maria José Quintela.

Assinala-se que esta é primeira vez que a poesia moçambicana está representada na fase final do Prémio Glória de Sant’Anna.

Fundador do XIPHEFO

Francisco Guita Jr. nasceu em Inhambane, em 1964 Inicia a sua actividade literária no Xiphefo, Caderno Literário, em 1987, do qual é membro fundador. Estreia-se em 1997 com o livro de poesia O agora e o depois das coisas (AEMO – Associação dos Escritores Moçambicanos). Em 2000, publica Da vontade e de partir (Prémio FUNDAC – Rui de Noronha, 1999) e Rescaldo (1.º Prémio de Poesia TDM – Telecomunicações de Moçambique, 2001) pela editorial Ndjira. Lança em Portugal e Moçambique, em 2006, Os Aromas Essenciais pela Editorial Caminho e Ndjira, e Los Aromas Essenciales em 2010, pela Ediciones Baile de Sol, Islas Canárias.

Adicionar comentário

Leave a Reply