Preto & Branco

“Há administradores que não colaboram com o DDR”

– Denuncia presidente da Renamo, Ossufo Momade

O Presidenta da Renamo, Ossufo Momade, mostra-se satisfeito como ritmo em que o processo de Desarmamento, Desmobilização e Reintegração [DDR], com mais de metade das suas forças  residuais integradas na vida civil, mas reclama a falta de colaboração de alguns administradores, do governo da Frelimo (partido no poder) que dificultam a integração daqueles eis militares, sobrertudo no acesso a terra, indispensável para habitação e desenvolvimento de actividades económicas.

 “O processo de Desarmamento, Desmobilização e Reintegração [DDR] está a acontecer sem sobressaltos, na medida em que já atingiu mais de 2.600 elementos desmobilizados”, avaliou  Ossufo Momade, líder da Renamo, falando à  comunicação social, à margem de uma visita ao centro de realojamento de Corrane, na província de Nampula, no norte do país.

Este dirigente do maior partido da oposição no país, ajuntou que muitos guerrilheiros desmobilizados já estão nas suas aldeias e, segundo informações que tem recebido, “estão a gostar do ambiente que encontram nas zonas”. No entanto, lamentou: “Há, ainda, outras zonas onde os administradores não colaboram, não aplicam aquilo que é a sua obrigação e responsabilidade [no âmbito do acordo de paz e reconciliação nacional]”, considerou  Ossufo Momade, numa alusão a alegadas dificuldades que alguns desmobilizados estão a enfrentar para obtenção de espaços para habitação e cultivo em alguns distritos.

 Mais de 2.600 guerrilheiros do braço armado da Resistência Nacional Moçambicana (Renamo) largaram as armas, num processo que vai abranger cinco mil membros da antiga guerrilha.

Adicionar comentário

Leave a Reply