Preto & Branco

Actionaid junto com seus parceiros discutem sobre a saúde sexual e produtiva das mulheres e jovens

A Associação ActionAid Moçambique realizou na manhã desta terça-feira (20) de Abril, uma mesa-redonda com membros do Gabinete Parlamentar de Prevenção e Combate ao HIV, Comissão de Plano e Orçamento, Ministério da Saúde, Ministério da Economia e Finanças, e Organizações da Sociedade Civil, para de forma conjunta analisarem o Processo de Planificação e alocação do orçamento no sector da saúde, concretamente nas áreas de Saúde Sexual e Reprodutiva e HIV.  A mesa redonda pretende ainda analisar o envolvimento das mulheres e jovens no Processo de Planificação e Orçamento dos serviços  e o preenchimento do questionário sobre Serviços de Saúde Sexual e Reprodutiva e HIV.

A coordenadora da Actionaid Moçambique Márcia Cossa disse a nossa reportagem que o evento tem objectivo principal debater o ciclo de planificação a nível do sector das financias, no sector da saúde e no sector do parlamento para tentar ver que medidas podem ser tomadas para melhorar a participação da mulher e dos jovens na prestação de serviços no sector da saúde.

‘’estamos reunidos com vários deputados, membros do parlamento, o ministério das financias e o ministério da saúde onde estamos a discutir como e que este processo ira decorrer e pretendemos juntos reflectir sobre os aspectos positivos que devem ser replicados e alguns aspectos que teremos que melhorar para que haja melhor prestação de serviços no que concerne a saúde no pais’’. Explicou a fonte

A mesma avançou ainda que este evento enquadra-se  no âmbito do projecto que  esta a ser implementado  pela Actionaid  e seus parceiros  nas províncias de Zambézia e Gaza o mesmo que visa melhorar a participação do cidadão  nos processos de planificação nas áreas de saúde e agricultura.

Por seu turno  Fernando Lavieque presidente  parlamental do combate  ao HIV/SIDA  disse que o HIV/SIDA  ainda  é um peso para o orçamento do estado  uma vez que mais de dois milhões de moçambicanos estados infectados pelo vírus do HIV e o tratamento antes estava 20 dólares e hoje esta a mais de 100 dólares.

Existe uma grande défice orçamental  nesta área  e as respostas não tem sido nada satisfatórias , mesmo para  a própria distribuição  , e com o valor que esta alto para o tratamento acreditamos que haja uma grande défice nos fundos do governo, essas pessoas infectadas tem outras necessidades fora o tratamento que precisam ser cobridos   com este orçamento.’’ Frisou o presidente

Adicionar comentário

Leave a Reply