Preto & Branco

Para fazer face ao terrorismo

EUA forma fuzileiros moçambicanos

Os Estados Unidos da América (EUA), através do Comando das Operações Especiais norte-americanas para África forma, desde segunda-feira última, fuzileiros moçambicanos com vista à prevenção da propagação do terrorismo e do extremismo violento no país.

Segundo nota de imprensa da embaixada dos EUA em Maputo, “os Estados Unidos estão empenhados em apoiar Moçambique com uma abordagem multifacetada e holística para combater e prevenir a propagação do terrorismo e do extremismo violento”, sublinhando-se que “a protecção civil, os direitos humanos, e o envolvimento da comunidade são centrais para a cooperação dos E.U.A. e são fundamentais para combater eficazmente o Estado Islâmico em Moçambique”.

Além deste programa de formação com duração de dois meses, denominado Formação Conjunta de Intercâmbio Combinado (JCET), os EUA ofereceram aos militares moçambicanos equipamento médico e de comunicações.

No lançamento do programa participaram o vice-Comandante do Comando de Operações Especiais dos EUA para África (SOCAFRICA), Coronel Richard Schmidt, em representação do Departamento de Defesa dos E.U.A, enquanto o Ministério da Defesa Nacional foi representado pelo Major-General Ramiro Ramos Tulcidás.

O embaixador americano em Maputo, Dennis W. Hearne, citado pela Voz da América(VOA) apontou que a formação de fuzileiros “é um excelente começo”, porque ajuda a estabelecer vínculos importantes com as forças de defesa para a melhoria de aspectos tácticos e garantia da protecção da população civil na luta contra os extremistas.

Esclareceu ainda que a abordagem é multifacetada, incluindo programas de desenvolvimento sócio-económico, resiliência de comunidades e assistência de segurança.

Até no momento, segundo Hearne, os Estados Unidos investiram, pelo menos, 39 milhões de dólares em programas sócio-económicos em Cabo Delgado.

Adicionar comentário

Leave a Reply