Preto & Branco

Governo garante 1% do Orçamento para Cultura e Artes

Na esteira das reivindicações da classe das artes e cultura em vários países, particularmente em África, por uma maior contemplação orçamental para o sector que regra geral não saiu da fasquia 0,…%, Moçambique assumiu garantir pelo, menos, 1% do seu orçamento de Estado para a Cultura e as artes até 2030.

O compromisso foi assumido no encerramento da 34ª cimeira dos chefes de Estado e de Governo da União Africana, pela ministra dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, Verónica Macamo, que defendeu que se pretende valorizar o património histórico e cultural.

No evento, foi aprovado o lema que irá orientar várias actividades no continente, durante o ano de 2021, que é “Artes, Cultura e Património da Humanidade: Alavancas para a Construção da África que Queremos”.

Segundo a ministra, espera-se que com o tema haja galvanização das atenções para a “valorização e promoção do imenso património histórico e cultural do nosso continente, que é berço da humanidade”.

No país, “a preservação de tais tesouros” inclui a protecção da Ilha de Moçambique, da timbila, da gastronomia, do acervo escrito, da pintura e de várias manifestações religiosas para a “convivência inter-religiosa e coesão entre os moçambicanos”, explicou a governante.

Neste certame continental, segundo Verónica Macamo, o Presidente da República, Filipe Nyusi, assumiu um compromisso ligado ao sector da cultura e apelou aos outros governantes para acelerarem a ratificação da Carta Renascimento Cultural Africano, cuja implementação permitirá aos estados membros alavancar iniciativas nos domínios da cultura e do turismo em toda a sua cadeia de valor.

 

 

Adicionar comentário

Leave a Reply