Preto & Branco

Os vernáculos do Everest  (Conclusão)

Os britânicos chegaram à base do Himalaia na década de 1830. Entretanto, o Nepal não permitiu que os britânicos entrassem no país com suspeita de “agressão política” (leia-se invasão) e possível anexação. Ambas eram práticas comuns do império britânico. Com a resistência dos nepaleses, britânicos foram forçados a continuar suas observações a partir de Terai, uma faixa de território na zona fronteiriça do norte da Índia, a qual é paralela ao Himalaia.

Assim os britânicos foram fazendo as suas observações e pesquisas de medição à distância. Dos vários pesquisadores destaca-se Andrew Waugh, que descortinou o Everest, depois de ter considerado outros montes como os mais latos nos himalaias.

Embora a pesquisa britânica procurasse preservar nomes locais, Andrew Waugh argumentou que não encontrava nenhum nome local comumente usado para aquele monte que fora baptizado por “Pico XV”. Por exemplo, para os outros picos, como Kangchenjunga (8.586 m) e Dhaulagiri (8.167 m) respeitou-se os nomes vernáculos.

A escolha de Waugh por um nome local foi dificultada pela exclusão de estrangeiros do Nepal e do Tibete. De acordo com relatos históricos, alguns nomes como “Deodungha” (“Montanha Sagrada”) como era referido em Darjeeling (cidade da índia) e “Chomolungma” em tibetano eram os principais nomes. Aliás, o termo,”Chomolungma” apareceu em um mapa de 1733 publicado em Paris pelo geógrafo francês D’Anville .

Andrew Waugh argumentou com o governo britânico que, na sua opinião, havia muitos nomes locais e, portanto, seria difícil escolher um nome em detrimento de outros. Para não desagradar a população local, além de também agradar os ingleses e sua grande autoestima, decidiu que o pico XV deveria ter o nome do pesquisador britânico Sir George Everest.

Ressalvando, razões políticas determinaram a denominação do monte mais alto do mundo como “Everest”, pois, ao longo dos países e povos por onde atravessa este monte e a respectiva cordilheira existem vários nomes vernáculos, que podiam muito bem capitalizados para a denominação internacional daquilo pico. Na região do Tibete, ele é chamado de “Chomolungma” ou “Qomolangma” que significa “Mãe sagrada do universo”, para as populações locais em Darjeeling o chamam de “Deodungha”, que é traduzido como “Montanha Sagrada”, enquanto na grande China é “Shèngmǔ Fēng”, que significa “Santa Mãe”.

Adicionar comentário

Leave a Reply