Preto & Branco

Os vernáculos do Everest (2)

O Everest não é apenas a maior montanha, detém outro recorde – é a fronteira mais alta entre dois países também. A montanha se estende entre os territórios da China e do Nepal, mas o seu pico é localizado na China – ou, mais concretamente, na Região Autônoma do Tibete. O Everest faz parte do sistema de montanhas do Himalaia e é apenas uma das nove montanhas do maciço do Himalaia. O mais interessante é que as montanhas do Himalaia consistem das 39 montanhas mais altas do mundo. Ou seja, o Everest tem muitos “irmãos menores”. Juntas, formam uma “cerca” entre o planalto tibetano e o subcontinente indiano.

Todo o sistema de montanhas está localizado no sul da Ásia, e passa por vários países, com línguas próprias e nativas, nomeadamente Paquistão, Butão, Tibete, Índia e Nepal.

Esta multiplicidade de países e povos faz com que o Monte Everest tenha vários nomes vernáculos. Na região do Tibete, ele é chamado de “Chomolungma” ou “Qomolangma” que significa “Mãe sagrada do universo”, para as populações locais em Darjeeling o chamam de “Deodungha”, que é traduzido como “Montanha Sagrada”, enquanto na grande China é “Shèngmǔ Fēng”, que significa “Santa Mãe”. Ressalva-se que estes nomes remotam de séculos antes do baptismo “Everest” pelos britânicos.

Considerando a multiplicidade de nomes, no entanto, com significado semelhante, o porquê de oficialmente ser chamado de um nome inglês? Pois, como pode ser observado pelos nomes vernáculos, o Monte Everest é percebido por muitos nativos ao longo do tempo, como a “mãe”, a referência-maior, de todas as montanhas.

Vamos compulsar os dados históricos. Em 1715, o Império Qing da China (última dinastia imperial da China precedida pela dinastia Ming e sucedida pela República da China) pesquisou a altura da montanha enquanto mapeava seu território. De acordo com dados registados, há descrições de Monte Zhūmùlangma Fēng no mais tardar em 1719.

Por volta de meados do século XIX, a maior potência do mundo era a Inglaterra. O Império Britânico foi o maior império em extensão de terras descontínuas do mundo. No auge, em 1920, o Império Britânico dominava cerca de 458 milhões de pessoas, 25% da população mundial e abrangia 20% das terras do planeta.

No ano de 1802, os britânicos começaram a O “Great Trigonometrical Survey (algo como Grande Levantamento Trigonométrico) da Índia para determinar os locais, alturas e nomes das montanhas mais altas do mundo. O projecto foi executado ao longo do século XIX no Raj Britânico (denominação não oficial para o domínio colonial do Império Britânico).

Começando no sul da Índia, as equipas de pesquisa foram se movendo para o norte do país. De acordo com os relatos históricos, os teodolitos pesavam aproximadamente 500 kg e exigia 12 homens para transportar. Estes instrumentos eram os mais precisos da época em termos de medição.

 

Adicionar comentário

Leave a Reply