Preto & Branco

Restos mortais de Bang jazem no Lhanguene

Os restos mortais do empresário e produtor musical Adelson Mourinho mais conhecido por Bang, foram nesta segunda-feira a enterrar no Cemitério de Lhanguene, na cidade de Maputo, depois de um velório que contou com altas personalidades do país, com destaque para o Presidente da República, o primeiro Ministro e a ministra da Cultura e Turismo.

O velório teve lugar na manhã desta segunda-feira (18 de Janeiro), no Paços do Conselho Municipal de Maputo, com acesso restrito devido as medidas preventivas contra acOvid-19, mas na parte externa a presença das testemunhas deste último adeus a Bang foi considerável.

Antes, no Domingo, no Aeroporto Internacional de Maputo durante a recepção da urna contendo os restos mortais, A ministra da Cultura e Turismo, Eldevina Materrula enalteceu a obra de Bang na cultura.

“Perdemos um empresário promotor da cultura. No nosso país, muitos jovens artistas hoje, são o que são, graças a este jovem empresário. É momento de muita dor e tristeza, cabe a nós enquanto Governo, acarinhar e apoiar a família do Bang, cabe a nós confortar e continuar este legado que Bang nos deixou”, vincou.

O velório do promotor musical mais conhecido, por Bang, foi caracterizado por mensagens de reconhecimento e muitas emoções. Alguns músicos moçambicanos defenderam a imortalização da figura do Bang, como forma de preservar a cultura moçambicana.

Um dos momentos mais emocionantes foi ver diversos populares a mandarem mensagens de encorajamento e força à cantora Lizha James, além de enaltecimento do papel do Bang na promoção e desenvolvimento da indústria musical nom país.

Bang morreu aos 41 anos de idade na África o sul, vítima de doença que o apoquentava havia meses. Paz à sua alma e profundas condolências à família enlutada!

Adicionar comentário

Leave a Reply