Preto & Branco

Em assalto a Miudumbe

Insurgentes decapitam pai de jornalista

Numa das suas incursões terroristas, o grupo de insurgentes “sedeado” em Cabo Delgado, tomou de assalto a Igreja Paroquial do Sagrado Coração de Jesus, no distrito de Miudumbe e destruiu a rádio comunitária ali instalada, pondo os seus profissionais à deriva nas matas. E no seu rol de matanças os terroristas decapitaram o pai de um dos jornalistas.

 Segundo o Fórum Nacional de Rádios Comunitárias (FORCOM) o assalto à igreja “Sagrado Coração de Jesus” teve lugar no dia 31 de Outubro último e na sua acção os insurgentes além de ocuparem esta entidade paroquial paralisaram o funcionamento da estação de radiodifusão local, a Rádio Comunitária São Francisco de Assis.

Em fuga do encalço deste grupo terrorista, pelo menos, nove jornalistas foram obrigados a fugir para as matas com as suas respectivas famílias procurando amparo passam dias.

Em comunicado institucional divulgado nesta segunda-feira (9 de Novembro), o FORCOM mostrava-se preocupado sobre a segurança da equipa de jornalistas, anotando que “a maior parte dos jornalistas que se encontram nas matas estão incomunicáveis e a sobreviverem em condições humanamente deploráveis e de insegurança”.

O grupo de jornalistas procurou refúgio nas matas e agora tenta sair da região atacada em direção a distritos considerados seguros, havendo também entre eles, pelo menos, um caso de um repórter que perdeu um parente na sequência dos ataques, refere-se na anota em alusão.

O repórter que, por sinal perdeu seu progenitor, na sua comunicação, via sms, relatou ao FORCOM: “Meu pai foi decapitado. Estamos a morrer de sede e fome, três dias sem comer nada e eu estou com os meus sobrinhos. Assim estamos a pedir socorro”.

Perante esta situação, o FORCOM “está a envidar todos os mecanismos por forma a garantir todo o apoio necessário aos jornalistas que se encontram nas matas, para salvaguardar a sua integridade física e segurança”, adianta a nota informativa, na qual esta entidade que congrega e representa as rádios comunitárias entende que o Estado deve garantir a segurança dos cidadãos.

A província de Cabo Delgado, no extremo Norte do país é teatro de ataques passam três anos perpetrados por grupo de insurgentes ancorados no fundamentalismo islâmico cujo modus operandi é claramente terrorista

Como rescaldo mais de mil pessoas perderam a vida e mais 400 mil pessoas vivem em situação de deslocados, dentro e fora desta província.

O destaque vai para a capital de Cabo Delgado, a cidade de Pemba, que desde meados de Outubro está a receber uma grande vaga de deslocados, que viajam em barcos precários e em condições inóspitas.

As províncias de Nampula e Niassa também tem sido o destino das populações fugitivas, que tende a descer mais a sul, nomeadamente para Zambézia e Sofala, havendo relatos de refugiados em países vizinhos, com destaque para a Tanzânia.

 

Adicionar comentário

Leave a Reply