Preto & Branco

Trump espreita a sua retirada da cadeira do trono

São no total 50 estados nos EUA, mas estes sete são os campos de batalha e nesta corrida à Casa Branca, os números parecem mais favoráveis a Biden, com Trump em risco de perder em alguns estados-chave que nenhum republicano que chegou à Casa Branca perdeu. Mas há quatro anos as sondagens também eram favoráveis a Hillary Clinton.

O democrata Joe Biden está à frente nas sondagens a nível nacional para as presidenciais de 3 de novembro nos EUA, mas isso não garante a vitória sobre Donald Trump. O actual residente da Casa Branca venceu Hillary Clinton há quatro anos, mesmo tendo perdido o voto popular. A culpa é do colégio eleitoral.

Para chegar à presidência, um candidato tem de conquistar mais de 270 votos no colégio eleitoral. Há 538 em jogo, e que cada estado vale no mínimo três votos. A Califórnia é a cereja no topo do bolo, valendo 55.

Salvo o Maine (4 votos) e o Nebrasca (5), nos outros estados o vencedor do voto popular no estado conquista todos os votos do colégio eleitoral, independentemente de ganhar com 1% ou 10% de diferença. Nas duas exceções, o vencedor ganha dois dos votos, sendo os restantes distribuídos consoante a vitória em cada distrito congressional.

Há estados que tendem claramente para um ou outro partido – pelo menos desde 1972 que o Distrito de Colúmbia vota democrata, enquanto o Kansas, o Dakota do Norte e o do Sul, o Oklahoma e o Utah sempre votaram republicano. E depois há os chamados swing-states, que balançam entre um e outro.

Dentro destes, está por exemplo a Florida, que vale 29 votos no colégio eleitoral e pode ser a diferença entre ganhar ou perder a nível nacional. Mas até em estados que há anos são de uma cor (vermelho para os republicanos e azul para os democratas) podem estar em causa em 2020. Estes são os principais campos de batalha de 2020.

Adicionar comentário

Leave a Reply