Preto & Branco

Renamo quer Dhlakama como Herói Nacional

A  partido líder da oposição em Moçambique, a RENAMO, exige que o seu falecido Presidente, Afonso Dhlakama, que liderou a luta para a introdução da democracia multipartidária no país, devia ser consagrado Herói Nacional pelo estado moçambicano. O MDM, o terceiro partido com assento parlamentar anuiu à proposta, mas a Frelimo endossa o assunto à Comissão Nacional de Títulos Honoríficos da Assembleia da República.

A Renamo, na voz do chefe da bancada parlamentar, Viana Magalhães, reitera que o seu fundador e líder histórico Afonso Dhlakama seja declarado Herói Nacional,

Esta exigência foi feita na abertura solene da segunda sessão ordinária da nona legislatura da Assembleia da República que recentemente arrancou. “Na verdade, quiçá fruto do reconhecimento da justeza da luta da Renamo, assistimos algumas personalidades a serem condecoradas, algumas das quais outrora ligadas à Renamo, mas o presidente Afonso Dhlakama em vida sempre disse que a maior condecoração que podia receber era a de ter o seu povo com a liberdade de eleger e ser eleito de forma democrática”, afirmou Magalhães, quem lembrou que o facto de o nome de Afonso Dhlakama estar incrustado nos corações dos moçambicanos merece o reconhecimento do Estado pela sua contribuição na construção de um Estado novo em Moçambique.

Esta proposta é subscrita pelo partido Movimento Democrático de Moçambique (MDM), que segundo o seu porta voz parlamentar, Fernando Bismarque, “é preciso reconhecer a contribuição de Afonso Dhlakama na conquista da democracia, até porque, independentemente dos meios usados, pelo menos Afonso Dhlakama forçou que saíssemos de um regime mono para multipartidário, então é preciso reconhecer o contributo de Afonso Dhlakama e nada obsta que para o MDM que seja considerado como tal , porque se Moçambique está a viver um regime multipartidário na democracia plena, embora com algumas falhas, deve-se à luta e ao engajamento de Dhlakama.

Para o porta-voz da Frelimo, Caifadine Manasse, é um assunto que deve ser analisado ao nível da Comissão Nacional de Títulos Honoríficos e caso chegue ao Parlamento será devidamente analisada. “Existe uma lei e uma comissão que trata esses assuntos, como a Renamo diz que vai submeter uma proposta à Assembleia da República para a apreciação, nós vamos apreciar ao nível da Assembleia da República”, prometeu o porta-voz do partido governamental.

 

Adicionar comentário

Leave a Reply