Preto & Branco

Primeira Catedrática de Matemática homenageada pelo MCESTP

Numa história do país na esteira da academia foi conhecida no mês transato a primeira mulher no país e com esta conquista, o sector que lida com o ensino superior e técnico profissional não se conteu da alegria em mostrar  que estas mulheres valem para o país.

Para tal ministro da Ciência e Tecnologia, Ensino Superior e Técnico profissional Gabriel Ismael Salimo homenageou na última segunda-feira(12) dia do professor com um gesto de entrega dos diplomas de honra à Professora Catedrática Sarifa Abdul Magide Fagilde e à Raquel Matavele Chissumba, por efietos notáveis recentemente alcançados nas áreas académica e de investigação científica.

A cerimónia da homenagem à estas mulheres moçambicanas que simbolizam um orgulho moçambicano, o minístro da CTESTP na sua intervenção considerou que este sinal significa muita para ciência e para o país em particular por se mulheres na área de ciências para o sector que dirige.

Segundo Gbariel Salimo face à esta qualificação nobre secundou que haja mais mulheres nas áreas das ciências por de facto ser elas a marcar um efeito de alto nível e para além de si só, vai ser um incentivo às mulheres e jovens em geral a abraçar neste que é a área de ciências e tecnologias. Salimo deixou um apreço de conforto pela conquista sem deixar aquilo que é a visão do ministério que tutela.

“O ministério em geral é elevar a qualidade de ensino e aqui, há um duplo sentido. Para além da chegada de uma Professora Doutora melhora aquilo que são condições para melhoramento do ensino, mas, por ser mulher, existem programas específicos que estamos a trazer para a mulher para cobrir esta área”, congratulou Gabriel Ismael Salimo ministro da CTESTP.

Contudo, para a Catedrática Sarifa Abdul Magide Fagilde, mostrou satisfeita pelo reconhecimento que não estava a espera que acontecesse e na mesma sequência sublinhou que os desafios são imensos pois, a mesma está na docência a praticamente 43 anos e só foi neste momento em que alcançou como professora catedrática e diante disso, descreve os desafios e como foi neste ninho.

“foram vários desafios porque tive vários momentos a fazer conciliação a administração e academia o que não era fácil, mas, a força de vontade deve ser extremamente planificada e organizada e fiz com que pudesse conciliar as duas coisas com algum atraso, mas consegui chegar a esse título”, sublinhou Sarifa Abdul Magide Fagilde.

No prisma do ensino, a catedrática espera um desafio de moldar as ideias de que a Matemática é difícil ora, não é para mulheres e fez menção de que vai continuar a trabalhar com a comunidade estudantil para mobilizar a ter gosto ela matemática.

Importa referir que, em termo estatístico era fraco nesta componente e para o MCTESTP este é mais um e diminui a diferença que o sector tinha e também vai ter um efeito catalisador ao mobilizar as mulheres porque á partir daqui outras raparigas e mulheres em geral vão acreditar que é possível.

O evento ocorreu nas instalações do MCTESTP na cidade de Maputo onde contou com os quadros do ensino.

Adicionar comentário

Leave a Reply