Preto & Branco

Morte não identificada na Montepuez Ruby Mining

No transacto dia 23 de Agosto de 2020, a MontepuezRuby Mining Limitada(MRM) foi informada da existência de um corpo no interior da floresta, perto da aldeia de Nthoro e aliado a esta situação chocante, os membros da comunidade de Nthoro desconheciam a identidade, a origem, bem como a causa da morte do indivíduo, cujo corpo já se encontrava em estado de decomposição.

Mais tarde, foi relatado que o corpo fora enterrado no local onde havia sido descoberto, no passado dia 24 de Agosto, na presença de treze (13) membros da comunidade e um (1) agente da Polícia da República de Moçambique. Apesar de a identidade e a causa de morte permanecerem desconhecidas, não se exclui a possibilidade de ser mais uma vítima da actividade mineira ilegal.

Entretanto, o número crescente de mortes envolvendo mineiros ilegais na concessão da Montepuez Ruby Mining é uma das principais preocupações da empresa. As práticas inseguras dos mineiros ilegais, que são geralmente coagidos por sindicatos de contrabando ilegal, financiados por compradores estrangeiros, estão a resultar na perda de vidas.

E a MRM tem vindo a desenvolver actividades de comunicação, para alertar sobre os perigos de mineração ilegal e apela aos visados para não se envolverem em práticas do género. A empresa também tem estado a consciencializar as comunidades próximas (onde os mineiros ilegais residem temporariamente) acerca dos perigos da mineração ilegal.

Associado ao garimpo ilegal, nos últimos seis meses, pelo menos vinte (20) pessoas, na sua maioria jovens do sexo masculino idos de países vizinhos e/ou províncias vizinhas, perderam a vida em Cabo Delgado a realizar garimpo ilegal e sem segurança na concessão da MRM, geralmente devido a deslizamentos de terra em que os mineiros ficam soterrados.

Tal como nos outros casos, este incidente foi levado ao conhecimento das autoridades, tanto a nível provincial como nacional, na esperança de que seja tomada uma acção proactiva e mais assertiva contra o financiamento dos grupos que facilitam e encorajam o comércio ilegal de rubis moçambicanos, privando o país das bastante necessárias receitas fiscais provenientes dos recursos minerais.

Recorde-se que, no dia 13 do mês passado, 150 mineiros ilegais invadiram a área de reserva de água da mina da MRM, um incidente que resultou na morte de dois garimpeiros ilegais por afogamento.

 

Adicionar comentário

Leave a Reply