Preto & Branco

Já são conhecidas as startups que representam Moçambique na final regional africana do ClimateLaunchpad

As starups que irão representar Moçambique numa das grandes competições para solucionar os problemas ambientais foram anunciadas na última terça-feira (18) do mês corrente num espaço virtual.

“Garantir maior produtividade alimentar sem aditivos químicos, acelerar o empoderamento da mulher através do empreendedorismo, e fabricar próteses mecânicas utilizando plástico do mar, contribuindo para o bem-estar ambiental, são as ‘mais-valias’ apresentadas pelas startups vencedoras da Final Nacional da maior competição global de ideias de negócios verdes.”

No entanto, num ambiente de muita euforia e partilha, realizou-se nesta terça-feira (18) a Final Nacional do ClimateLaunchpad, onde foram distinguidas três ideias de negócios verdes para representar Moçambique na Final Regional africana desta competição, em meados de setembro deste ano.

DoCampo Aquaponics, uma startup baseada em Inhambane, que lança a produção de peixes e vegetais sem aditivos químicos e com uma quantidade de cinco a oito vezes mais do que já é feito, foi distinguida na primeira posição.

BioMec assenta na segunda posição com o fabrico de próteses mecânicas, tendo como base plásticos retirados dos mares.

Marta Vânia Uetela, representante da BioMec, afirma estar optimista e feliz em ajudar as pessoas com restrições ou deficiências, e levar ao mundo o seu projecto, para torná-lo mais verde e acolhedor.

Na terceira posição, destaca-se a Inovagri, Lda., com tecnologia de cultivo intensivo em quintais. A Inovagri procura resolver de forma ambientalmente amigável a demanda de alimentos frescos e saudáveis. Este projecto atende às famílias urbanas, restaurantes, bufês e lojistas, pois permite suprir as preocupações quanto à higiene, sazonalidade, baixa qualidade comercial que experimentam ao comprar alimentos agrícolas de fornecedores informais, e em relação aos sabores não naturais e inorgânicos de alimentos importados.

Para além da participação na Final Africana, no que tange aos benefícios de premiação, as três startups terão a sua marca reforçada no mundo digital, com a criação e alojamento de sites e -mails corporativos, numa oferta da Fundação Carlos Morgado. O primeiro classificado, DoCampo Aquaponics, terá ainda acesso à sessões de business Advisory, formação de inglês para negócios, mais um investimento de 60 mil meticais, oferecidos pela Whatana Investments.

Salienta-se que as startups distinguidas são todas elas lideradas por mulheres empreendedoras, destacando-se num rol de treze negócios escolhidos a nível nacional, mediante a avaliação dos membros de júri, a considerar: Emmett Costel, Director Geral da Associação Moçambicana de Energias Renováveis (AMER), Pedro Serrenho, Director de Desenvolvimento da Whatana Investments, Mayra

Pereira, Sócia-Gerente da Gaia Consulting, Ruben Morgado, Director Executivo da Fundação Carlos Morgado, e Aaron Cunningham, representante da Sede da Irish Aid (Ajuda Irlandesa).

Niall Tierney, Embaixador da Irlanda em Moçambique, agradece a todos os intervenientes do ClimateLaunchpad, reiterando total suporte à competição e, em nome do governo irlandês, congratula os vencedores.

Foi um evento virtual realizado na passada terça-feira da competição de empreendedorismo em Moçambique cujo objectivo resgatar os talentos dos jovens moçambicanos. Neste recente evento foi seleccionados Treze startups a nível nacional, modeladas para solucionar problemas ambientais, participam nessa data na Final Nacional da maior competição de ideias negócios verdes, denominada ClimateLaunchpad. Esta é uma competição global, cuja missão é reduzir os impactos negativos das mudanças climáticas por meio da inovação tecnológica e empreendedorismo.

“Garantimos total apoio para gerar contributo necessário e trazer mudanças significativas em Moçambique e no mundo, e desta forma minimizar os impactos negativos no ambiente e no clima”, salientou Tierney!

Para Ruben Morgado, Director Executivo da Fundação Carlos Morgado, “é muito importante investir em startups, especialmente em inovação e ‘green business’, para o desenvolvimento de um Moçambique mais sustentável e justo para todos.”

O projecto ClimateLaunchpad é uma iniciativa da EIT ClimateKIC, programa de inovação da União Europeia para as alterações climáticas e, em Moçambique, é impulsionado pela ideiaLab, com o apoio da Embaixada da Irlanda/Irish Aid, Whatana Investments, Fundação Carlos Morgado, Gaia Consulting, e AMER.

A ideiaLab, empresa moçambicana com o propósito de inspirar empreendedores, apoiar o desenvolvimento de startups, acelerar o crescimento de micro, pequenas e médias empresas, é a entidade responsável por implementar este desafio no país, e desta forma garantiram a formação dos participantes para aprimorarem as suas ideias de negócio e trazerem soluções significativas para Moçambique, África e o mundo.

Gaia, empresa de consultoria com foco nas áreas de energia renovável, está envolvida com o ClimateLaunchpad porque acredita que as tecnologias limpas podem fornecer soluções para lidar com as mudanças climáticas. Isto está alinhado com a missão da empresa que visa apoiar as organizações na construção de estratégias eficazes para a construção de um futuro sustentável. Além disso, Gaia visa reconhecer e promover o empoderamento de mulheres como agentes de mudança, e garantir um futuro mais sustentável e equitativo para todos.

Na final africana desta competição, as startups irão disputar um dos dez lugares disponíveis para participarem na Grande Final do ClimateLaunchpad, a ter lugar entre os dias 30 de Setembro e 2 de Outubro, para receber até 10 mil euros, e acesso à ClimateKic – principal incubadora de negócios verdes europeia.

O evento desta terça-feira marca a Final Nacional da competição, e será realizada a partir das 11 horas, através de plataformas digitais, devido a pandemia da COVID-19. Este evento acontece depois de um período de treinamento intensivo dos empreendedores, para aperfeiçoar as ideias de negócio, sendo que nesta fase os mesmos apresentam os seus projectos a uma equipa de jurados, que seleccionará e premiará três startups de maior potencial. As startups distinguidas representarão Moçambique na Final Regional do evento (africana), a se realizar em finais de Agosto corrente.

Adicionar comentário

Leave a Reply