Preto & Branco

SENAMI recusa a entrada dos estrangeiros no país

O Serviço Nacional de Migração (SENAMI), no período de 18 a 24 de Julho em curso, recusou a entrada à República de Moçambique a 07 cidadãos estrangeiros de diversas nacionalidades por não reunirem os requisitos necessários para o efeito, contra 11 de igual período de 2019, o que representa redução em 36%.

Desse modo, as recusas de entrada em questão ocorreram nos Postos de Travessia de Ressano Garcia (01) e de Namaacha (03), na Província de Maputo e Aeroporto de Mavalane (03), na Cidade de Maputo e foram motivadas pela falta de autorização de viagem (03) e falta de vistos de entrada (04).

Portanto, os cidadãos estrangeiros recusados de entrar no País por falta de vistos de entrada eram titulares de autorização de viagem, no entanto não possuíam o visto correspondente ao propósito da vinda ao País (Visto de Trabalho) razão pela qual foram orientados a regressarem aos Países de proveniência para solicitarem os respectivos vistos nas Missões Diplomáticas e Consulares da República de Moçambique.

De realçar que a autorização de viagem permite, excepcionalmente, a realização de viagem durante a vigência da limitação de entrada e saída de pessoas do território nacional, porém não isenta o seu titular de ser submetido aos procedimentos migratórios necessários no Posto de Travessia, de acordo com o motivo de viagem, isto é, o viajante, para além da autorização de viagem, deve reunir os demais requisitos necessários para efectuar a viagem.

Nos casos, por exemplo, de cidadãos estrangeiros que pretendam entrar excepcionalmente no País em negócios, trabalho ou actividades de investimento, para além da autorização de viagem, devem solicitar o visto correspondente nas Missões Diplomáticas e Consulares da República de Moçambique, documentos sem os quais não lhes será autorizada a entrada.

Dentre nacionalidades recusadas entrar no País no período em análise   Sul-africana (04) ↔ (57%) Taiwanesa (02) ↔ (29%) Suazi (01) ↔ (14%).

Cerca de 200 moçambicanos entraram no país em voos especiais

Ainda no mesmo período, 197 cidadãos nacionais entraram no País através do Posto de Travessia de Mavalane em voos especiais provenientes de Lisboa e Addis Abeba, o que representa aumento acima de 100% em relação à semana anterior, período em que regressaram ao País 96 cidadãos nacionais em voos especiais.

Para além da entrada destes nacionais em voos especiais, foi igualmente registada a saída de 221 cidadãos estrangeiros de diversas nacionalidades, que tinham como destinos África do Sul, Lisboa e Addis Abeba. As nacionalidades destacadas neste período foram a portuguesa, italiana, francesa, espanhola e filipina.

A informação foi partilhada na última quinta-feira (30) de junho em Maputo no habitual briefing semanal daquela instituição para comunicar das ocorrências nos solos moçambicanos.

Por fim, SENAMI Apela a todos os cidadãos estrangeiros que pretendam entrar excepcionalmente à República de Moçambique para, além de portarem autorização de viagem, serem igualmente portadores de vistos correspondentes, caso o motivo da entrada seja actividade de investimento, trabalho ou negócios.

Adicionar comentário

Leave a Reply