Preto & Branco

Montepuez Ruby Mining antevê o efeito da Covid-19

A Montepuez Ruby Mining (MRM) revelou, na passada quinta-feira (23) de julho, em Maputo, que tal como tem sido relatado em quase todos os quadrantes empresariais no país, a mineradora continua a registar grandes desafios, devido à pandemia do novo coronavírus.

Segundo o Presidente do Conselho de Administração (PCA) da MRM, Samora Machel Júnior, o leilão de qualidade mista agendado para Junho passado foi cancelado e dadas as restrições generalizadas para viagens, períodos de quarentena e proibição de grandes aglomerações, ainda não há certeza sobre a concretização do leilão agendado para Dezembro de 2020.

“O novo coronavírus trouxe grandes desafios para todos e a nossa empresa não foge à regra. Como o preço para os nossos rubis é definido nos leilões, ainda não temos uma previsão para o impacto da Covid-19 nas nossas pedras preciosas”, apontou Samora Júnior.

Entretanto devido ao impacto da Covid-19, a empresa suspendeu todas as despesas de capital expansionista, incluindo a segunda estação de tratamento que deveria ter iniciado este ano com um gasto estimado de US $25 milhões. No entanto, as despesas planeadas relacionadas à vila do Plano de Acção de Reassentamento (RAP) construída recentemente vão continuar em conformidade com o objectivo de alcançar a ocupação da aldeia até Agosto de 2020.

“No primeiro semestre do ano passado, a Montepuez Ruby Mining facturou mais de 50 milhões de dólares e, infelizmente, até ao presente momento, ainda não tivemos facturação, ou seja, estamos longe de alcançar os números do mesmo período no ano passado”, diz o PCA da MRM, ressaltando as perspectivas adversas para os resultados financeiros da empresa em 2020, tendo em conta os efeitos negativos da COVID-19.

Sobre as medidas de prevenção da contaminação no meio laboral, Machel disse que todas as operações, excepto as críticas, estão suspensas desde 22 de Abril, para proteger a equipa, cumprir as recomendações nacionais e como resultado de restrições na cadeia de suprimentos.

“A saúde sempre foi a maior prioridade na MRM e a empresa esforça-se para garantir que todos os seus funcionários estejam seguros e bem. Em resposta à pandemia causada pelo vírus da Covid-19, a MRM suspendeu as suas operações principais e reforçou os procedimentos de higiene, saúde e segurança no local, implementando um conjunto de medidas para mitigar o contágio, tanto em locais operacionais assim como na comunidade“, diz Samora Júnior.

Machel sublinhou que a administração, segurança, manutenção e outros serviços continuam, de modo a garantir que a MRM esteja bem posicionada para retomar as operações normais, assim que for seguro e prático fazê-lo .

Para evitar o alastramento do vírus na comunidade, a empresa tem estado a apoiar um conjunto de iniciativas a nível local, distrital e provincial, para a prevenção da Covid-19. Particularmente na recente mobilização de alfaiates do Posto Administrativo de Namanhumbir, para produzir treze mil (13.000) máscaras faciais para distribuição gratuita nas comunidades.

Adicionar comentário

Leave a Reply