Preto & Branco

Em Espanha a Covid-19 ganha nova força e coloca o país para cauda da Europa

O aumento de casos de covid-19 Espanha não está a conseguir achatar a curva epidemiológica de infeções pelo novo coronavírus. É um dos países da União Europeia que está a deparar-se com uma subida de novos casos da doença, o que já obrigou várias regiões a recuar no desconfinamento e a aplicar medidas restritivas para travar a propagação do contágio.

O contínuo aumento de infeções levou Espanha a ter o pior registo entre os países na União Europeia nos últimos dois meses, escreve o ABC que se baseia no site de monitorização 91-DIVOC, que compila os dados da Universidade Johns Hopkins sobre a pandemia.

O Diário de Noticias de Portugal escreve que, nas últimas oito semanas, os casos de covid-19 dispararam em Espanha, que surge destacada no gráfico comparativo entre países. Alemanha, França e Itália também estão a lidar com um aumento de infeções pelo novo coronavírus, segundo o portal 91-DIVOC, que mostra o impacto do novo coronavírus em cada país a partir do dia em que cada um registou 100 casos de covid-19.

O gráfico mostra, por exemplo, que na sexta-feira, dia 24 de julho, o Ministério da Saúde espanhol reportou ​​​​​2.255 novos casos de infeção, sendo que a média de casos confirmados por dia nos sete dias anteriores era de 1.738. Nesse mesmo dia, França registou 942 casos e a Alemanha 742. Já em Portugal verificaram-se nessa sexta-feira mais 313 novos casos, sendo que a média de infeções diárias nos últimos sete dias era de 230,7.

De acordo com os dados mais recentes do Centro Europeu de Controlo de Doenças (ECDC), divulgados esta terça-feira, 28 de julho, nos últimos 14 dias, Espanha apresenta uma taxa de incidência de 47, 2 casos por 100.000 habitantes, enquanto a de Portugal situa-se nos 33,9.

Também de acordo com os dados do ECDC, a região de Aragão está à frente de todos os países europeus, com uma taxa de incidência de 238 casos por 100.000 habitantes nos últimos 14 dias, em comparação com 219 registados no Luxemburgo.

O crescimento de novos casos no país levou várias regiões a tomar medidas restritivas. Na Catalunha, por exemplo, o presidente do governo regional, Quim Torra, falou, na segunda-feira, numa situação “muito crítica”. O surgimento de novas infeções obrigou o executivo catalão a determinar o encerramento de espaços noturnos e a proibição de reuniões com mais de 10 pessoas. Caso a situação epidemiológica da região não melhore, Torra não descarta o regresso ao confinamento na região.

Já na comunidade de Madrid foi decretado esta terça-feira o uso obrigatório de máscaras de proteção em todos os espaços, abertos ou fechados. O governo desta região autónoma fez saber ainda que vai ordenar o encerramento de bares e esplanadas às 01:30 e ordenar às autoridades a consulta de documentos de identificação (Bilhete de Identidade) aos clientes dos estabelecimentos para “facilitar o rastreio” de casos positivos de SARS CoV-2.

A presidente da Comunidade de Madrid, Isabel Díaz Ayuso, anunciou a “Estratégia de Continuidade”, uma série de medidas contra a propagação de covid-19 no sentido de se evitarem novos surtos da doença. Entre as medidas anunciadas, Ayuso assinalou o uso obrigatório de máscaras de proteção sanitária para maiores de seis anos de idade, a partir de quinta-feira, em todos os espaços públicos assim como a manutenção da distância de segurança entre pessoas.

No entanto, nas reuniões no exterior ou em espaços fechados o número máximo de pessoas não pode ultrapassar as dez e recomenda-se que o mesmo número limite seja respeitado mesmo que se trate de encontros nos domicílios.

De acordo com as normais divulgadas esta terça-feira vai ser obrigatório que os clientes deixem ficar nos estabelecimentos que frequentarem os dados de identificação para que eventualmente “possam ser rastreados rapidamente” casos positivos de covid-19.

Adicionar comentário

Leave a Reply