Preto & Branco

Apreendidos 1.200 toros de madeira ilegal

As autoridades governamentais anunciaram esta semana a apreensão, entre 06 e 10 de Julho, de cerca de 1.200 toros de madeira cortada ilegalmente na Zambézia, no centro do país, durante uma operação de combate ao contrabando, o que significaria uma perda de certa de 800 mil meticais em receitas fiscais.

A madeira das espécies umbila, sândalo e messassa foi apreendida após denúncias populares durante a primeira fase da Operação Tranquilidade Florestal.

As equipas de fiscalização não encontraram os responsáveis pelo corte, suspeitando-se que terão abandonado a madeira no distrito de Mopeia ao aperceberem-se da vigilância.

“Eles abandonaram a madeira em busca de uma oportunidade para a recolher. Foi deixada estrategicamente”, referiu Isaque Jalilo, delegado da Agência Nacional para o Controlo da Qualidade Ambiental (Aqua), citado pela agência Lusa.

O total de 482 metros cúbicos de madeira tinham como destino a cidade da Beira, na província de Sofala, também no centro do país, e representa 800 mil meticais em receitas fiscais.

“Esta operação ainda vai continuar nos próximos dias porque temos tido resultados positivos”, sublinhou o responsável.

Vários relatórios nacionais e internacionais têm indicado que Moçambique está a ser palco de crimes ambientais, entre os quais o corte ilegal de árvores, alertando para as consequências dos altos níveis de desflorestação.

Como forma de diminuir a pressão sobre os recursos florestais, algumas medidas restritivas foram aplicadas nos últimos cinco anos para inverter o cenário. Dados oficiais indicam que Moçambique perde anualmente, pelo menos, 10 biliões de meticais devido ao contrabando de madeira.

Adicionar comentário

Leave a Reply