Preto & Branco

Moradores da Moamba Inconformados com PRM

Os Munícipes de distrito de Moamba na província de Maputo sentem-se indignados pelos actos que a polícia tem vindo a mostrar face a Covid -19. São mais de 200 famílias que residem naquele distrito que queixam-se de cobranças ilícitas e maus-tratos protagonizados pela Policia da República de Moçambique (PRM). A equipe de reportagem da edição Preto e Branco chegou de perto para se inteirar do assunto que deixa os moradores descontentes.

Moradores entrevistados pela nossa reportagem acusam a polícia de maltratar os cidadãos e têm feito cobranças ilícitas aos munícipes que não obedecem as recomendações de prevenção do novo coronavírus.

” Eles cobram 50.00 á 100.00mt por pessoas que não têm máscara, as nossas barracas fecham ás 17h mas a polícia deste distrito vem nos apreender e nos deixa no dia seguinte as 5h para lavar e limpar o posto policial”.

Entretanto, os moradores daquela urbe foram a fundo ao frisar que a PRM tem ameaçado a grande parte dos moradores naquele local.

” Eles nos dizem que se não termos a ideia eles vão nos pegar e levar nos as para às celas, e lavar as suas casas de banho, e nos exigem a pagar certo valor para nos deixar livre, caso não nos ameaça a nos levar junto do processo às autoridades maiores, e nós com medo tiramos 500mt para pagar e eles não aceitam pois só querem 1500mt. Na semana finda, vimos mais de 9 pessoas a recolheram as celas sem nenhum argumento e a polícia só queria 1.500 Mtn para cada pessoa sair para casa, desta forma pedimos por favor as autoridades a mudar os agentes que cá temos” protestaram os residentes.

A polícia daquela urbe diz não saber dessas cobranças ilícitas e mau-tratos aos residentes.

Abel Changan agente da PRM em Moamba começou por dizer que a maior parte da população não tem colocado em prática o decreto presidencial.

” Muitas pessoas deste distrito quando chega o final do mês, muitos têm optado em ir nas barracas e fazendo enchentes nas paragens facto este que a polícia tem o dever de trabalhar”

Quando questionado do castigo dos infractores da lei e ordem o agente frisa que. ” É sabido que a lei deve ser cumprida e os moradores desta urbe não colocam em prática a lei presidencial como forma de nos desafiar e como consequência muitos têm recolhido as celas e depois de algum tempo são levados as entidades superiores para serem responsabilizados por não praticar a lei e ordem”. Terminou Changan

A polícia da república de Moçambique apela aos residentes daquele distrito que sejam vigilantes dos infractores da ordem e segurança de modo a minimizar a propagação da covid -19.

Adicionar comentário

Leave a Reply