Preto & Branco

Primeiro-ministro empossa novos quadros de MTC, IPEME e INFRAPESCA

Foi através das competências do Primeiro-ministro Carlos Agostinho do Rosário que empossou na última segunda-feira (29) de Junho na capital do país os novos quadros destas instituições públicas do país.

Na sua intervenção do primeiro empossado recomendou a nova secretária para implementar acções que contribuam para a melhoria continua da prestação de serviços administrativos, apostando, de entre outro, tais como, continuar a garantir a simplificação de procedimentos e desburocratização dos serviços deste sector; consolidar e expandir a digitalização do sistema de licenciamento e de pagamento electrónico das taxas cobradas nos diversos serviços e assegurar a contínua melhoria da qualidade do atendimento público, sobretudo no que concerne a emissão de cartas de condução e de licenças para o exercício do serviço de transporte de passageiros e mercadorias, de entre outros.

Segundo Carlos Agostinho do Rosário, o sector dos Transportes e Comunicações é um dos pilares fundamentais para o desenvolvimento do nosso país tendo em conta o seu papel no estabelecimento da interligação dos sistemas de transporte terrestres, marítimos, portuários, ferroviários e aéreos de passageiros e acrescentou que na sua acção governativa tem vindo a promover a interligação dos sistemas de transporte com o objectivo de assegurar maior eficiência na mobilidade de pessoas e bens, dinamizar o turismo e a comercialização, sobretudo o escoamento do excedente da produção agrária, bem como facilitar a integração nacional e regional através dos corredores de desenvolvimento.

“A par disso, o Governo tem vindo a realizar investimentos visando melhorar, cada vez mais, a rede nacional de comunicação afim de garantir a qualidade da transmissão dos serviços de voz, dados, internet e multimédia, em todo o país. Apostamos ainda na melhoria dos serviços meteorológicos, dotando-os de tecnologias modernas que nos permitem aperfeiçoar, continuamente, a planificação das campanhas agrícolas, assim como os mecanismos de prevenção e mitigação dos efeitos das mudanças climáticas”, referiu do Rosário.

Para a empossada Joaquina Daniel Gumeta, Directora-Geral do Instituto para Promoção das Pequenas e Médias Empresas (IPEME) em substituição de Claire Mateus Zimba e que do Rosário disse que para o presente quinquénio, o processo da industrialização do nosso país continua a constituir uma das prioridades da nossa acção governativa, no qual as Micro, Pequenas e Médias Empresas (PME’s) desempenham um papel determinante.

No processo da industrialização, as PME’s concorrem para o estabelecimento de cadeias de valor em diversos ramos de actividades, sobretudo na transformação da produção agrícola, pesqueira e mineira, de entre outros.

Segundo primeiro-ministro é neste contexto que o Governo tem privilegiado o envolvimento das PME´s em projectos de investimentos, com particular realce para as áreas de agro-processamento, silvicultura, manufactura, turismo e energia, por serem sectores com elevado potencial para a criação de emprego e renda.

E também foi empossado Adolfo José Albino, Director-Geral do Instituto Nacional de Desenvolvimento e Gestão de Infra-estruturas Pesqueiras (INFRAPESCA).

Nesta cerimónia, Do Rosário realçou que Governo tem vindo a desenvolver acções para garantir a sustentabilidade da actividade pesqueira, da qual centenas de milhares de mulheres e homens dependem dela, no seu dia-a-dia, para o seu sustento, sobretudo as populações que vivem ao longo da costa. É reconhecendo esta realidade e o seu impacto para o processo de desenvolvimento do nosso país que o Governo criou o Instituto Nacional de Desenvolvimento e Gestão de Infra-estruturas Pesqueiras (INFRAPESCA).

No entanto, ao criar o INFRAPESCA, o Governo tem como objectivo assegurar o contínuo desenvolvimento e gestão de infra-estruturas e equipamentos de apoio à actividade pesqueira pelo sector público e privado com vista a garantir o aumento da produção de pescado a nível nacional. Com esta abordagem estamos certos que iremos dinamizar este sector, assegurando desta forma mais criação de postos de emprego e renda, bem como contribuir para a segurança alimentar e nutricional da população moçambicana.

 

 

 

 

 

Adicionar comentário

Leave a Reply