Preto & Branco

NA FMF: Não há dinheiro da FIFA para o Textáfrica

A Federação Moçambicana de Futebol (FMF) esclarece que ainda não foram canalizados os fundos para a reabilitação das infraestruturas destruídas pelo IDAI por parte da Fundação FIFA a Moçambique. O processo nem havia iniciado em Novembro do ano passado.

Em resposta à denúncia do Textáfrica, sobre a existência de 5.2 milhões de meticais congelados na federação e que eram destinados à reabilitação do campo da Soalpo e outras infraestruturas danificadas pelo ciclone IDAI, a FMF esclareceu ao OC-Olho Clínico que ditos fundos nunca foram canalizados pela FIFA.

E mais. Do anúncio dos seis milhões de dólares norte-americanos para a reabilitação de infrastruturas destruídas pelo IDAI, feito por Gianni Infantino em Novembro do ano passado aquando da visita a Maputo, Moçambique não chegou a contactar a FIFA.

Ou seja, o elenco da FMF, na altura liderado por Alberto Simango Júnior, não fez as devidas diligências junto à FIFA para auferir o valor destinado aos clubes da zona Centro do País e, à sua saída após as eleições de 14 de Dezembro, não reportou ao novo elenco sobre este processo e nem deu o respectivo ponto da situação no acto de entrega das pastas.

Ao OC-Olho Clínico, a fonte explicou que depois da visita da FIFA a Moçambique, a federação deveria, na altura, entrar em contacto com aquele organismo internacional por forma inteirar-se dos procedimentos para que os clubes possam receber o financiamento e, deste modo, iniciar com o processo. O que não chegou a acontecer.

No entanto, a FMF diz estar já atrás do assunto e em contacto com a FIFA para o arranque deste processo…

Refira-se que o Textáfrica de Chimoio, através do seu secretário-geral, Vasco Moisés, reclama 5.2 milhões de meticais da ajuda da FIFA, valores esses que, alegadamente, deveriam ter entrado nas contas do clube entre os passados meses de Dezembro (2019) e Janeiro (2020).

Adicionar comentário

Leave a Reply