Preto & Branco

“Ainda somos uma associação que carece de apoio”, considera Presidente da Avotana

O presidente da Associação dos táxi-mota em Nampula (AVOTANA) Albertino José afirmou a nossa reportagem num contacto telefónico que a associação que dirige carece de apoio para o seu crescimento e apela a união dos membros da Avotana para aplicar as lições sobre segurança rodoviária e a segurança dos passageiros no âmbito da pratica das actividades de rotina pois é do seu conhecimento seguir com os métodos de segurança rodoviária na via publica tomando e considerando o reconhecimento da legalidade da prática desse trabalho.

A expressão foi apresentada na passada segunda-feira (22) do mês em curso, pela passagem do segundo aniversário da agremiação desde a sua criação (Avotana) localizada na cidade de Nampula. As celebrações do segundo ano da sua criação foram caracterizadas de passeios nas praças junto com o Ministério da Saúde na busca de sensibilização dos operadores dos táxis mota sobre a prontidão das medidas de prevenção da Covid-19 o novo coronavírus e aos passageiros que os solicitam seus serviços de táxis motos naquela cidade de Nampula.

Segundo presidente da AVOTANA Albertino José falando aos nossos gravadores a partir de teleconferência, para além dessas actividades acima referidas, os taxistas passaram esta data nas suas residências junto das suas famílias em resposta as medidas de prevenção da pandemia e alinhou-se igualmente o trabalho de fiscalização nas praças dos táxis motos.

“Os operadores já tiveram conhecimento em todo nível e estamos a fazer a fiscalização, supervisão das actividades perante as praças e apesar das restrições imposto pelo governo os taxistas estão operantes”, enfatizou Albertino José presidente da AVONTA.

O segundo aniversário da Associação de táxi Mota de Nampula (AVOTANA), de acordo com o presidente dessa agremiação simboliza coragem, determinação e vontade. Apesar das dificuldades que aquela agremiação enfrenta neste momento, os parceiros como MISAU, PRM e outros estão abrindo as mãos para com a associação para junto combater o inimigo invisível que apoquenta o solo moçambicano e o mundo em geral.

“Ainda somos uma associação que carece de apoio para o crescimento e à média pedimos a divulgação da nossa imagem para que possamos ser conhecidos em todo o país porque não é a toda sociedade moçambicana que conhece a existência da AVOTANA”, esclareceu Albertino José.

Face a esta pandemia, para melhor controlo da mesma, a agremiação está empenhada na diminuição do efectivo em pequenas praças junto da Policia de protecção da República de Moçambique (PRM) de modo a se cumprir com o regime de rotatividade (escala) de operação e pese embora, urge a necessidade de expansão da associação para outros distritos e províncias nas quais precisam de associativismo.

Para pós covid-19, a AVOTANA está desenvolvendo actividades que visa o fortalecimento da agremiação naquela parcela do país pois muitas tarefas foram restringidas como é o caso da capacitação do pessoal operador de táxi moto, distrito de Eráti, Nacala-Velha e ainda nessa capacitação envolve duas turmas e seus parceiros, portanto, até ao momento não se consegue sobressair devido ao impacto da covid-19. Neste processo envolve a questão que sempre é notório no seu dia-a-dia, a ausência nos profissionais de qualquer área profissional, a Ética e Deontologia profissional, ética de operador, código de estrada, historial da Avotana, higiene e segurança no trabalho, segurança rodoviária. Estes são um dos parâmetros a ser dado continuidade para pós pandemia da covid-19.

Na senda daquilo que é a segurança rodoviária, a agremiação registou acidentes ainda não especificado o número de acidente resultante da operação dos táxis motos em três praças que consequentemente alguns operadores encontram- se em estado de coma, outros sofreram assaltos na calada em actividade e um caso foi a apreensão dos chefes duma das praças daquela cidade que por sinal foi confundido de ser um assaltante de telemóvel.

“O chefe da praça de CFM foi preso pela polícia por lhe confundir que fosse assaltante de telemóveis e até agora encontra-se na cela e está a responder dessa acção. E para além dos 48 táxis moto que estavam preso, pedimos a amnistia para retomada ao trabalho e o governo reconheceu e foram liberto para operar e alguns chefes das praças lhes destacamos como fiscais para junto com a policia poder trabalhar na protecção das vias públicas e dos táxis motos porque tem se confundido com outros que não são legais fazendo anomalias de segurança dos passageiros ”, lamentou.

A Avotana conta actualmente com cerca de 5118 membros de táxi mota e 1022 carregadores de carga nas praças. Neste universo de 5118 membros, para este ano lectivo registou-se 130 membros novos nas novas e de igual forma cresce o número de praças com interesse de execução dessa actividade que visa transportar os passageiros para seu destino.

Adicionar comentário

Leave a Reply