Preto & Branco

É preciso consciencializar o cidadão por medidas reprensivas: Será difícil prevenir-se da covid-19 enquanto viajar de “My Love”

A falta da fiscalização nos transportes do tipo caixa aberta pode concorrer para a propagação da covid-19 em Moçambique. É o caso dos utentes dos bairros de Boquisso, Mukatine, Santa Isabel e Muhalaze que para viajar depende dos famosos “my love”.

No passado dia 08 de Abril a emenda na operacionalização do decreto sobre Estado de Emergência, introduzindo o relaxamento nas medidas sobre o sector dos transportes públicos. Após disso, com as novas emendas, o Governo recuou na imposição do limite de 1/3 para os transportes públicos e semicolectivos de passageiros, passando a permitir que circulem obedecendo o limite da lotação de cada viatura.

As emendas recuaram também na questão dos moto-táxi e táxi por via da bicicleta que voltaram a ser permitidos a funcionarem, mediante o uso de máscaras de protecção.

Tudo bem, mas aqui inquieta nos e preocupa nos o caso dos transportes do tipo caixa aberta vulgo “My Loves” que carregam com uma lotação ultrapassando as medidas de prevenção da covid-19 como é o caso do distanciamento de 1.5m de distancia para com a outras pessoas e o que se sabe até ao momento, a máscara traz falsa sensação.

Olhando a natureza do terminal de transporte semi-colectivo de Zimpeto, vive-se um cenário enigmático desde dos passageiros e os transportadores daquele lugar e Aquelas medidas severas de desinfectar os passageiros para se fazer ao transporte quase fica nulo obedecendo apenas o uso das máscaras. O terminal de zimpeto regista um aglomerado de pessoas muito elevado e no local há inexistência do túnel desinfectante que poderia beneficiar a todos que saírem e entrar do parque de terminal de zimpeto.

E o que acontece com os utentes onde o meio de transporte é caixa aberta “my love”? Se o assunto é se deslocar ao seu destino não há escolha para tal associando-se nesse caso aos altos riscos de contaminação da covid-19. Os carros de tipo caixa aberta saem extremamente lotada com um distanciamento de 30cm o que pode concorrer para a propagação da doença em causa.

Este tipo de viaturas, são visíveis nos bairros como Boquisso-Mukatine, Santa Isabel, Muhalazi onde a maioria do transporte é o “my love”, bairros sem estradas condignas com uma densidade populacional bastante elevado.

Entretanto, em conversa com Almeida Fumo, Psicólogo face a este cenário que se vive nas periferias da cidade de Maputo, considera que não passa de desleixo do Ministério da Saúde e Governo sobretudo em continuar a assistir aglomerados nos meios de transportes e nos terminais e apela.

“É preciso consciencializar cidadão por medidas repreensivas, principalmente transportadores das zonas suburbanas não somente licenciadas”, apelou Almeida Fumo.

Fumo acrescenta que a Policia Municipal não leva a sério a questão de fiscalização e distanciamento nos transportes (caso terminal de zimpeto) e acredita que “está num curto espaço de tempo constituirá centro de propagação para diferentes partes das urbes porquê não províncias que nem água tem” e os recursos de aquisição de meios de protecção assumidas minimamente eficazes nas cidades.

Os casos positivos vão se elevando gradualmente e o fim do prazo do estado de emergência está a vista, as populações necessitadas que por sinal depende das actividades informais estão sucumbindo a fome resultante da pandemia da covid-19 e que pode migrar certas províncias a insegurança alimentar aguda e cada vez mais os apoios familiares vão reduzindo devido a duração de confinamento.

 

 

Adicionar comentário

Leave a Reply