Preto & Branco

Repatriados 536 cidadãos nacionais da vizinha áfrica do sul

No dia 10 de Maio corrente foram repatriados da República da África do Sul, através do Posto de Travessia de Ressano Garcia, 536 cidadãos nacionais (dos quais 04 de sexo feminino), com idades compreendidas entre 19 a 63 anos de idade, por cometimento de diversas infracções naquele País.

O Porta-voz do serviço Nacional de migração Celestino Matsinhe disse que trata-se de 517 concidadãos que entraram ilegalmente na África do Sul, 05 que cumpriam penas de prisão por cometimento de crimes naquele País e 14 por violação de Estado de Emergência.Durante a triagem foram detectados dois (02) cidadãos estrangeiros, tendo sido devolvidos de imediato às autoridades sul-africanas no mesmo período em análise o País continua a registar baixo movimento migratório mercê da implementação das medidas restritivas de entrada e saída de pessoas do território nacional impostas pelo Estado de Emergência em vigor. Com efeito, na semana finda (02 a 08 Maio), foi registado nos Postos de Travessia nacionais, movimento migratório global de 9.103 viajantes de diversas nacionalidades, contra 104.407 de igual período do ano 2019, o que representa redução em 91%.

O Porta-voz apontou ainda que do total de viajantes entrados, 1.411 são nacionais e 3.21 estrangeiros e dos saídos, 1.492 são nacionais e 2.990 estrangeiros.

“Em relação à semana anterior (25 de Abril a 01 de Maio) verificou-se, igualmente, redução de movimento migratório em 10%, pois neste período atravessaram os Postos de Travessia nacionais 10.100 viajantes neste período apenas 11 Postos de Travessia registaram movimento migratório, dos quais três (03) na Província de Tete, dois (02) nas Províncias de Niassa e Maputo, um (01) nas Províncias de Cabo Delgado, Zambézia, Manica e Cidade de Maputo. Os Postos de Travessia das Províncias de Nampula, Sofala, Inhambane e Gaza não registaram movimento migratório foi recusada a entrada ao País a 01 cidadão de nacionalidade zimbabweana que pretendia entrar no País em turismo, motivo não aceite durante a vigência do Estado de Emergência e os Postos de Travessia terrestres continuam a ser os que registam mais fluxo migratório impulsionado pelo trânsito de camiões de transporte de carga, No período em análise, os Postos de Travessia de Ressano Garcia (Província de Maputo), Machipanda (Província de Manica) e Zóbue (Província de Tete) foram os que registaram maior fluxo de viajantes, com 2.661, 1.474 e 730 viajantes, respectivamente”.

De realçar que ainda no mesmo período o SENAMI realizou triagem a 1.046 cidadãos nacionais que entraram ilegalmente no País através da violação da fronteira na Ponta De Ouro, tendo constatado tratar-se de cidadãos nacionais estes concidadãos foram interpelados pela Polícia de Fronteira e submetidos ao rastreio da Covid-19 pelas autoridades de saúde, que resultou negativo.

Adicionar comentário

Leave a Reply