Preto & Branco

Programa Foward 2.0 da FIFA permite pagamento de salários a funcionários federativos

Desde 2016 que a Federação Moçambicana de Futebol (FMF) tem recorrido aos fundos do programa Foward 2.0 da FIFA destinada ao apoio ao desenvolvimento da modalidade, através da canalização de um milhão de dólares (cerca de 65 milhões de Meticais) divididos em duas trances iguais de 500 mil dólares americanos (cerca de 32.5 milhões de Meticais).

Dados apurados pela LanceMZ, indicam que anualmente a FMF vinha canalizando cerca de 12% deste valor para o pagamento de salários dos seus funcionários permanentes. Ou seja, do valor global perto de 120 mil dólares (cerca de 7 milhões e 800 mil Meticais) são aplicados no pagamento de parte dos salários dos funcionários da instituição federativa, tal como permite o regulamentando utilização de fundos integrado o projecto Foward 2.0.

Na documentação do programa Foward 2.0 que o LanceMZ teve acesso, a FIFA faz saber que “em relação aos custos operacionais USD 500.000  dólares americanos serão pagos em Janeiro de cada ano para cobrir os custos operacionais/operacionais contínuos da associação membro, incluindo os custos para: i. governança, estrutura e administração; ii. Selecções nacionais; iii. competições domésticas; iv. Pessoal administrativo e técnico permanente; v. gestão financeira (custos com auditorias); vi. site e outras plataformas de comunicação; vii. formação dos principais grupos de interesse do futebol (representantes, corpo técnico, voluntários, etc.).

Na documentação que temos vindima citar, o organismo máximo do futebol mundial faz saber ainda que “outros 500.000 serão pagos em Julho de cada ano, desde que a associação membro”, cumpra com os seguintes critérios:”i. organização de competições masculinas (campeonato, liga ou Taça), ou seja, competições regulares em todo o país, disputadas da seguinte forma: 1. por um período de pelo menos seis (6) meses; 2. envolvendo pelo menos dez (10) equipes; 3. com pelo menos 90 partidas disputadas. ii. organização de  competições femininas (campeonato, liga ou taça), ou seja, competições regulares em todo o país disputadas da seguinte forma: 1. por um período de pelo menos seis (6) meses; 2. envolvendo pelo menos dez (10) equipes; 3. com pelo menos 90 partidas disputadas. iii. tem uma Selecção nacional “A” masculina activa que jogou pelo menos quatro partidas (oficiais ou amigáveis) no ano relevante;”.

FMF tenta esquivar pagamento de salários aos funcionários com fundos das FIFA

Entretanto, em nota de esclarecimento a FMF divulgou como pretende usar os fundos da FIFA que chegarão por antecipação neste mês de Maio.

Na referida comunicação, a FMF reitera que o montante de 500.000,00 dólares americanos que está sendo fornecido (por antecipação) pela FIFA às Federações-membro, “é referente ao fundo operacional a que todas as federações têm direito anualmente, no qual a sua utilização e aplicação deve respeitar escrupulosamente as rúbricas estabelecidas no regulamento Forward 2.0, e que será alvo da auditoria central da FIFA”.

O órgão federativo moçambicano salienta  “que o montante é para suprir as despesas correntes da FMF, e é a partir desses fundos, que a FMF desenvolve e financia todas as suas actividades correntes anuais, como por exemplo às operações ligadas as selecções nacionais, competições, programas de desenvolvimento, cursos, entre outros”.

 

 

 

 

Adicionar comentário

Leave a Reply