Preto & Branco

Sociedade Civil alarmada com índice de infectados pela Covid-19

O Instituto para democracia multipartidária (IMD) defendeu na manhã desta segunda-feira que apesar dos números alarmantes dos infectados pela covid19 o país não reúne condições para um confinamento obrigatório.

Esta informação foi avançada durante uma Conferência de Imprensa que tinha como objectivo a apresentação do Relatório de Monitoria da Implementação de Medidas do Estado de Emergência no âmbito do Covid-19, desenvolvido pelo IMD, a nível nacional.

O Bispo Dinis Matsolo colaborador do IMD disse a nossa reportagem que o estudo, aponta, dentre vários aspectos, que um dos principais constrangimentos para a implementação integral das medidas impostas pelo Estado de Emergência esta relacionada com limitações financeiras, sendo que mais de 80% dos 3200 inquiridos apontaram a busca por sobrevivência como razão para saírem de casa e se exporem à outra pessoa, mesmo perante a ameaça da Covid-19.

“Sujeitar este grupo a um confinamento obrigatório pode ser uma medida impraticável, tal como se verificou no sector de transporte onde o governo teve que recuar e a refrear certas medidas que se mostraram desajustadas à realidade do País”, disse na ocasião, o Bispo Dinis Matsolo, colaborador do IMD

O estudo aponta ainda que 12,6% das pessoas inquiridas revelaram que conheciam pessoas nas suas zonas de residência ou entre pessoas das suas relações, que estava a violar a quarentena obrigatória; cerca de 38,5% dos respondentes, entendiam que só uma minoria respeitava o distanciamento recomendado, o que significa que, se não houver uma mudança comportamental, mesmo o esforço das pessoas que obedecem o distanciamento, pode não surtir os efeitos desejados.

“Existe evidências da manutenção, em alguns bairros, da prática de actividades recreativas (em particular jogos de futebol) concentrando uma grande quantidade de pessoas, contrariando as medidas emanadas”, disse Matsolo ajuntando que foram também verificados alguns excessos e uso desproporcional da força por membros da Policia da República de Moçambique(PRM)  sendo que o mais grave resultou na morte de um cidadão na Cidade de Beira e um cidadão deficiente que foi violentamente agredido por um agente da lei e ordem.

 

De realçar que no geral o IMD entende que a capacidade das instituições para implementar as medidas ainda não é de todo satisfatória, tendo o estudo demonstrado que a média de cumprimento das medidas é de 3.1 numa escala de 1 a 5 pontos sendo que o sector de saúde apresenta a melhor pontuação (3.7) e a pior é a educação (2.8), no entanto, apesar de ser uma média acima da metade, verificam-se muitas limitações.

Adicionar comentário

Leave a Reply