Preto & Branco

Sobre os Hábitos em Tempos Covid-19

Autor: Inconformado

Temos que concordar que a Covid-19 fez-nos retornar ao nosso existencialismo humano e, como disse um amigo meu, fez-nos voltar às nossas origens, às nossas casas, aos nossos bairros. Para muitos, a casa e a família era apenas uma imagem ténue. Mas o confinamento traz ao de cima outros desafios dada a característica poligâmica e de concubinato dos relacionamentos. Como fazer a ‘gestão’ destas redes complexas neste momento tenebroso? Como garantir que os ‘gestores’ [quais polígamos] não serão eles os agentes ou vectores de transmissão? Não sei!

Não há dúvidas de que a Covid-19 mudou o nosso dia-a-dia e muitos dos nossos hábitos. De ponto de vista da nossa higiene, a limpeza e desinfecção permanente dos domicílios, a lavagem quase que intermitente das mãos, o andar com gel e álcool para desinfectar as mãos tornou-se um hábito generalizado. O mais importante são as lições que deveremos tirar no final e que deverão ser estimuladas e encorajadas pelo Ministério da Saúde. Estes bons hábitos não deverão parar quando a pandemia der sinais de estar sob controlo…devem ficar no nosso ADN. Temos que ser assim!

Outro aspecto importante é a aproximação do núcleo familiar que foi estimulado confinamento. Os membros das famílias autodescobriram-se e isso ajudou a forjarem maior cumplicidade e o espírito de família. Porém, seria ingénuo se descurasse as fissuras que podem ter surgido nas estruturas familiares decorrentes da desestruturação desta instituição social.

Como alguém pelas bandas do Atlântico um dia disse, o mundo parou, o dia passou a ter mais de 24h, o tempo deixou de existir. Tudo o que existe somos nós, a nossa casa, a nossa família e um vírus à espreita…tenhamos cuidado!

Adicionar comentário

Leave a Reply