Preto & Branco

NÃO ME FALTA ÂNIMO, MAS SIM HONESTIDADE!

Ganhar ânimo e se esforçar são as palavras que giram o planeta, o continente e o nosso país em particular, não há emprego dos sonhos, casamento dos sonhos, viagens dos sonhos, férias dos sonhos, vida dos sonhos e não há nada dos sonhos. A cada dia há o que podemos ter, o que nos é dado, o que deveras não nos completa mas preenche um espaço ínfimo em nós, isso na falta do melhor.

Sonhos, será que queremos viver o sonho ou queremos viver no sonho? Queremos viver algo maior que o sonho, a realização do sonho é o pico mais alto, porém, difícil de escalar, o sonho não é determinado pelo curso de formação, nem pelo ponto do país em que te encontras, mas sim por várias razões, repiso vezes sem conta que estamos em guerra mesmo tendo sido declarada a independência, ora vejamos, chegou o novo ano, mil concursos de emprego serão lançados, mas os primeiros a ocupar as vagas são os que já têm padrinho, é padrinho, a pessoa que preenche a vida de um ser na posição de segundo Pai, que tudo faz pela vida do afilhado, em norma para que alguém seja teu padrinho nada cobra em troca, normal de um Pai, em contra partida os padrinhos que hoje conhecemos cobram o que não temos e tiram o pouco que desejamos alcançar.

Ah queria ter um padrinho, assim não precisaria concorrer para ingressar na faculdade, escolheria o curso que eu quisesse, e o mais interessante ainda seria escolher o sector de trabalho, escolher o cargo a ocupar, escolher o salário, escolher as folgas semanais que eu quisesse, escolher ainda as regalias para mim e minha família, queria ter um padrinho estar onde não consigo estar por mérito próprio, assim falam os que não têm um padrinho e são cegos de preguiça, mas o povo não têm padrinho, não depende do padrinho, pois sabe que não há padrinho para todos, não há regalias para todos, não há nada para todos, e hoje nos falam de planta sem semente, sem longo prazo de desenvolvimento, que não gasta nenhum estrume, simples erva desenvolvida pela natureza divina, onde a acção do homem não é fundamental, hoje sabem apadrinhar o povo, dando mérito aos alimentos que sempre valorizamos, enquanto isso ainda vivem de lazanhas, crepe, briyane, peixe com legume, camarão, lagostas e toda gastronomia francesa, italiana e até a gastronomia que não imagino, haaa… não finjam que se sensibilizam com o povo, que não o que falam vos identifica, mas vale calar do que mal falar.

Quer ser padrinho do povo, reparta as regalias e se compadeça com a realidade, tire os sapatos, calças, sandálias de palha, chinelos de borracha os tais ditos para o banho, vista trapos, roupas da calamidade não roupas importadas, passe um tempo em Chamanculo, Xiquelene, Maxaquene nos dia de chuva, passe pelos lugares de cheiro nauseabundo, onde o perfume cadavérico é o aroma diário, passe pelos esgotos, mergulha nos rios que inundam os bairros e sinta a frescura do fumo da lixeira e a brisa suave das latrinas, passe por cada canto dos bairros dos teus afilhados, venha com o teu BM, teu Mercedes, teu Ranger sim, só para sentir a delicia das estradas que os teus afilhados trilham dia após dia, mas devias mesmo oh padrinho, ficar aglomerado com o povo nas paragens de canto e ponto de Maputo, nas primeiras horas do dia, onde o povo, teu afilhado guerreia para ter um transporte até chegar a sua casa e ser humilhado, devias também estar numa dessas paragens na dita hora da ponta, assim, sentirias o que eu teu afilhado vive e sente, saberias como é ser tirado o pouco valor que me apetecia comer um frango durante o final de semana mas infelizmente acabo terminando no maravilhoso alimento que hoje valorizas, pois este não me custará a vida, apenas o carvão ou lenha enquanto coze em fracção de segundos, seja padrinho do povo, partilhe os teus bens, partilhe as tuas regalias, mostre que somos iguais, mostre que realmente somos família, filhos da mesma pátria, sem esconder o melhor mas partilhando. Não paro de escrever, sim e não irei parar, pois você não parara de falar, nem começou a agir de forma honesta, eu sou o povo, ele é o povo, todos somos o povo e queremos que haja verdade e honestidade.

 

Adicionar comentário

Leave a Reply