Preto & Branco

Recusada a entrada de mais de 400 cidadãos estrageiros no território nacional

No período de 21 a 27 de Março findo, o Serviço Nacional de Migração recusou a entrada à República de Moçambique a 419 cidadãos estrangeiros de diversas nacionalidades por não reunirem os requisitos necessários para o efeito, contra 21 de igual período de 2019, o representa aumento acima de 100%. Em relação à semana anterior (14 a 20 de Marco de 2020) verificou-se igualmente, aumento acima de 100% pois neste período foi recusada a entrada no território nacional a 44 cidadãos estrangeiros.

O porta-voz do Serviço Nacional de Migração Celestino Matsinhe que as causas que ditaram a recusa de entrada destes cidadãos estrangeiros foram a observância de restrições de entrada à República de Moçambique resultantes das medidas de prevenção da COVID-19 anunciadas por S.Excia. o Presidente da República no dia 20/03/2020, bem como a falta de clareza quanto aos motivos de vinda ao país. A nacionalidade Sul África foi a que registrou maior recusa no território nacional com 344 que correspondem a 82% e o posto do Ressano Garcia foi a que registrou maior recusa de entradas com 382 que correspondem a 91%.

O porta-voz destacou ainda que no mesmo período foi registado a nível nacional redução de movimento migratório em 36% em relação ao período similar de 2019. Neste período, atravessaram os postos de Travessia nacionais 62.351 viajantes de diversas nacionalidades dos quais 36.750 entrados e 25.605 saídos contra 97.638 do período homólogo de 2019. Dos viajantes entrados, 23.397 são nacionais e 13.353 estrangeiros e quanto aos saídos 10.073 são nacionais e 15.528 estrangeiros.

De realçar que esta redução do movimento migratório deveu-se fundamentalmente às restrições de movimento de entrada e /ou de saída de viajantes impostas por diversos Estados na esteira de medidas da prevenção da COVID-19, que tem assolado o mundo.

Adicionar comentário

Leave a Reply