Preto & Branco

Exploradores reivindicam 800 “almas” militares para conter terroristas

As principais multinacionais que investem na exploração de gás na Bacia do Rovuma, na província de Cabo Delgado, consideram os 500 membros das Forças de Defesa e Segurança (FDS) insuficientes para conter as investidas dos terroristas que semeiam morte, destruição e pânico naquelas bandas e exigem o reforço de mais 300 soldados.

Trata-se das multinacionais Exxon Mobil e Total que acabam de solicitar ao Governo moçambicano o envio de mais tropas para proteger as suas operações na província de Cabo Delgado, onde continua a onda de ataques atribuídos a radicais islâmicos, que semeiam terror em vários distritos daquela província.

Mesmo que ainda não tenham necessariamente atacado os empreendimentos para a exploração do gás, a sua expansão preocupa os gestores das multinacionais que já investiram centenas de milhões de dólares nas operações.

Esta informação foi avançada pela prestigiada agência de notícias Reuters que assegura ter como fontes representantes das multinacionais em causa e dois consultores de segurança. A situação foi referenciada pela publicação online Voz da América, no dia 3 de Fevereiro, coincidentemente data em que Moçambique celebra o Dia dos Heróis Nacionais.

Um dos consultores de segurança teria revelado à Reuters que na região estão 500 soldados, mas que as multinacionais pediram mais 300 homens. Porém, a Exxon preferiu não comentar o assunto e endossar a responsabilidade ao Ministério da Defesa Nacional que também declinou elaborar sobre o assunto. Aliás, em assuntos de segurança, a discrição e o segredo são praxe.

Ressalva-se que, a província de Cabo Delgado, abriga uma das maiores reservas de gás do mundo cujas receitas de exploração estão estimadas em dezenas de biliões de dólares e as duas multinacionais, que envolvem parceiros de vários países, espalhados por quatro continentes, têm mega projectos em andamento.

Adicionar comentário

Leave a Reply